SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 9 Agosto 2020, 08:40

A cereja no topo do bolo

Ufa … conseguimos! Para tal, saímos em alta velocidade pela manga onde o avião em que aterramos encostou, passamos por dois controlos de passaporte e corremos pelo aeroporto de Viena d’Àustria durante dois kms, entre a porta C qualquer coisa e a porta F8 mas, conseguimos. Já estamos dentro do avião! A suar em bica mas dentro do avião!

Afinal sempre é bom os aviões saírem atrasados! Quer dizer… Sempre foi bom este voo não sair à hora caso contrário tínhamos ficado em terra e lá teríamos nós de dormir mais uma noite sem ser na nossa rica caminha. Mas também se o nosso voo anterior tivesse saído a horas tínhamos evitado esta correria toda. Safa. Enfim, nunca se consegue ter o melhor de dois mundos! Mas hoje a lei da compensação funcionou! Vamos chegar uma hora e meia mais tarde do que o previsto a Lisboa, mas também não se pode pedir tudo. Bem, isto se tudo correr bem com o voo é que ainda faltam 30 minutos para aterrarmos. Uma garantia temos: se alguma coisa correr mal, ninguém cá fica em cima! Já nem sei como é que hei de ir sentada! Depois de quatro horas e meia de viagem de carro e mais três horas de espera num aeroporto e uma hora e meia de viagem de avião: mais dois 2 kms a correr e três horas e meia de viagem noutro avião não está fácil. É que com esta brincadeira toda já se passaram 12 horas e uns trocos desde que saímos do hotel. Bem, começamos a descer para Lisboa. Último pormenor e que será a cereja no topo do bolo: será que as nossas malas vão aparecer no tapete das bagagem ou será que não?! A ver vamos pois

TUDO ISTO EXISTE, TUDO ISTO É TRISTE (bem Equipa Maravilha, tivemos bem!) TUDO ISTO são COISAS e CENAS & CENAS e COISAS.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2020 © Todos os direitos reservados