SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Quarta-feira, 15 Julho 2020, 03:45

Mau mau

Ainda há um instantinho me le- vantei, apenas tomei o pequeno- -almoço e arranjei o da minha mãe, pus a máquina da roupa a lavar, vesti uma roupa para andar por casa e já passou uma hora?! Uma hora?

Estou cá com a impressão que as horas deste novo ano de 2019 têm uns quantos minutos a menos… o que fará com que os dias tenham umas quantas horas a menos! Agora, agora.

Se o “tempo” já não me chegava, agora é que vão ser elas. E vem-me à memória uma lenga-lenga daquelas que se aprende na juventude e já não se esquecem e que por sinal vinha escrita na “Minha Agenda”. Lembram-se o que era???!!!!

“O tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto o tempo o tempo tem!”

E sorrio ao lembrar-me de quantas brincadeiras fizemos na escola
sendo o mote esta mesma lenga-lenga… O tempo passou e pela voz de
D. Argentina Santos aprendi uma outra quadra da autoria de João de Freitas, em que também o “tempo” é a figura principal.

“Meu Deus como o tempo passa Dizemos de quando em quando Afinal o tempo fica A gente é que vai passando”
E por falar em ir passando… agora vou montar o estaminé na salinha e pôr-me a passar a ferro! Se há tarefa doméstica que gosto mesmo de fazer é passar a ferro. Como tal… vamos a isso que o monte já vai alto! Beijinhos beijinhos e que nunca nos esqueçamos que a nossa maior fortuna é o TEMPO. A cada novo dia de vida que nos é concedido temos 1.500 minutos novinhos em folha e prontos a serem vividos! Saibamos escolher a forma mais FELIZ E SALUTAR de os usar. Não os desperdicemos pois TUDO ISTO EXISTE.
CULTURA

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Ler Mais...
Jornal O Almonda, 2020 © Todos os direitos reservados