SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Domingo, 12 Julho 2020, 06:28

“Festas do Almonda” com o seu palco definitivo

 

Na terça-feira, dia 2, foi apresentado das “Festas do Almonda” que irão decorrer de 3 a 12 de Julho. A apresentação contou com a presença de António Rodrigues e do Engº João Aidos, da empresa municipal “Teatro Virgínia”, o responsável pela programação do evento.

 

Dos “grandes” nomes da música nacional destacam-se Paulo de Carvalho (8 de Julho), João Gil – acompanhado pelo caboverdiano Tito Paris (10 de Julho) e Tereza Salgueiro (12 de Julho) e, como os grandes “cabeça de cartaz” desta edição das “Festas do Almonda”.

 

O programa musical arranca no dia 3 com um grupo originário do Congo “Konono”, actuando ainda nesse dia “Pontos Negros” e “Os Golpes”, a banda torrejana que já mereceu destaque na imprensa nacional. Destaca-se ainda da programação o tradicional “Festival de Folclore”, no dia 4, as concertinas das “Tucanas”, no mesmo dia, o som do Brasil com os “Orquestra Imperial”, no dia 6, os “Caravan Palace” e o seu electro-swing, o som dos Balcãs com “Muncipale Balcanica”, e o som da argentina com a “Orquestra Típica Fernandez Fierro”.

 

A diversidade de países representados no evento faz com que o já usado slogan “O mundo em Torres Novas”, faça mais uma vez sentido com a edição de 2009 das “Festas do Almonda”.

 

António Rodrigues aproveitou a ocasião para informar que o espaço das festas foi pensado de forma a articular a envolvência do Castelo e a renovada Praça 5 de Outubro, que estará pronta na ocasião. A edição deste ano procurou «dar expressão às festas no Jardim das Rosas, em conjunto com a Avenida Martins de Azevedo, e Praça 5 de Outubro», para que se veja «verdadeiramente uma cidade em festa». O Presidente aproveitou ainda para informar que no próximo Verão a Praça 5 de Outubro vai contar com iniciativas em todos os Sábados, para que assim se consiga «dinamizar o Centro Histórico». Reconhecendo que é sempre difícil «fazer um programa que agrade a toda a gente», explicou que a programação teve também a preocupação de fazer uma ligação à Lusofonia, apontando para a ligação de Tito Paris com João Gil. Sobre o orçamento destas festas disse que deverá «rondar ao orçamento de anos anteriores», acrescentando, «Não se fez nenhuma loucura só porque este é um ano de eleições». O assunto já havia sido discutido numa sessão pública de Câmara sendo o valor indicado de 200 mil euros, em que 150 mil são para os espectáculos. Este programa, rematou ainda o Presidente, são o resultado de estudos, críticas e sugestões que nos têm chegado, procurando ir ao encontro das mesmas.

 

O Engº João Aidos começou por recordar que as “Festas do Almonda” têm conseguido captar muito público da região, e que a ideia tem sido a de «apostar na diferença», e não «fazer mais do mesmo do que se faz aqui à volta». Da programação o responsável do Teatro Virgínia sublinhou também a realização de três espectáculos diários ao fim-de-semana e de dois durante a semana. Ao todo serão trinta e um eventos durante os dez dias das “Festas do Almonda”.

 

Para além da música, que sem dúvida constituiu o “prato forte”, haverá ainda noites dedicadas ao Teatro, contando-se no dia 4 com a presença do grupo de rua “Falsa Escuadra”, no dia 5 com o grupo “Commedia a la carte”, que trazem a sua “Volta a Portugal em Comédia”. Existirão ainda, como é costume, actividades dedicadas às crianças e aos desportos.

 

Luís Miguel Lopes

 

 

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Ler Mais...
Jornal O Almonda, 2020 © Todos os direitos reservados