SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Segunda-feira, 3 Agosto 2020, 19:17

Homenagem ao KIKI

 

Ontem dia 10 de Setembro, deixei tudo o que tinha para fazer e rumei até ao Estádio de Futebol de Torres Novas. Vesti a camisola branca com toda a emoção e amizade. No meio estava a fotografia do meu amigo Kiki e uma frase “ Estarás sempre nos nossos corações Campeão”.

 

Pelas 15h começaram a chegar as pessoas, não tantas como eu pensava que viessem. Por falta de informação, não foi de certeza. Tudo foi divulgado nas redes sociais, jornal e rádio local de Torres Novas. Nos cafés, lojas de comércio estava um panfleto em tamanho A3. No Bairro da Companhia onde ele cresceu e passou tantos dias debaixo do limoeiro do quintal de seus pais, também coloquei um panfleto na paragem do TUT. E muito sinceramente fiquei espantada com tão pouca presença dos vizinhos, eram tão poucos que mal enchiam 1 camarote.

 

Caso estejam esquecidos, o Kiki estava sempre pronto para ajudar. E já mesmo doente ainda ia instalar um electrodoméstico; tinha sempre um sorriso, uma conversa agradável. Os que lhe “ beijaram os pés” estavam ausentes, nem um pouco de solidariedade, nem nada.

 

Os que foram sentiram todos os momentos com sentimentos que cada um manifestou. Houve respeito, lágrimas, aplausos. E enquanto os balões subiam ao céu e os pombos voavam expliquei à minha amiguinha Íris que eles iam para junto do Kiki que estava num sítio cheio de flores e com muitos passarinhos. E um dia nós iríamos ter com ele. Recebi dela um brilhozinho nos seus olhos de menina traquina.

 

Assistimos a vários jogos de futebol, entre camadas infantis, com os seus treinadores a incentivarem os seus pupilos. Os clubes que participaram foram onde o nosso campeão jogou: Atlético Riachense, Juventude de Lapas e Clube Desportivo de Torres Novas.

 

Lá para o fim da tarde entrou em acção a equipa da Velha Guarda, alguns com uns quilinhos a mais, outros uns cabelitos branquitos. Portaram-se todos à altura, até o Tuna veio dar um “show de bola” como dizem os brasileiros ao entrar em campo. Mas quem ganhou o troféu de melhor jogador foi o Afonso Alves.

 

Seguiu-se a entrega dos troféus, aos patrocinadores entre os quais o Sr. Fialho Ferro, o J.P Mecânico, Café Pacheco, Fumaça entre outros.

 

O irmão mais velho do Kiki, António Henriques teve esta ideia pô-la em andamento com a ajuda de amigos. Em conversa disse-me que estava feliz na medida do possível e que fez esta homenagem para minimizar a sua dor.

 

No final uma mostra de fotografias do Kiki encheu os meus olhos de lágrimas e sob a luz da lua senti a sua presença. Estremeci, aplaudi e voltei para casa. Agora cada um fará o seu luto, é difícil, muito difícil mesmo, a ferida fechará anos mais tarde mas jamais cicatrizará.

 

aguianegraenator@gmail.com

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2020 © Todos os direitos reservados