SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Terça-feira, 14 Julho 2020, 02:02

Um amor para a vida toda

Estávamos a umas duas semanas do Natal de 1989 quando comecei a entrar nas vossas casas sem bater à porta. Entrava sorrateiramente na caixa do correio e deslizava até ao chão. Era uma descarada, uma intrusa. Seria bem recebida? Ou seria transformada numa bola e atirada para o caixote do lixo?

Felizmente fui bem recebida pela maioria da população. Gostavam que lhes fizesse companhia todas as sextas-feiras. Primeiramente brindava-os com poemas tristes inspirados na saudosa Florbela Espanca que relia todos os livros que me ofereciam.

Com o passar do tempo deixei os poemas rabiscados em cadernos pautados e passei para as crónicas de opinião que fizeram balançar os corações solitários e enfurecer os fígados congelados. Ano após ano fui aperfeiçoando os temas e o resumo de cada texto. Não havia necessidade de passar uma mensagem florida quando as flores morriam secas nos canteiros. Não havia necessidade de passar o lustro aos sapatos de salto alto e dar palmadinhas nas costas dos engravatados. Não havia necessidade de me acobardar e de fugir da verdade.
Cruzei serras e rios minados de água poluída; descobri buracos em ruelas e vielas e fui onde não queriam que eu fosse.

Nunca me arrependi por tudo o que escrevi, porque este amor é maior que tudo. Porque amar não é só amarmos alguém, mas sim um todo. E eu amo todos vós, cada um está no meu coração. Porque me deixaram fazer parte da vossa família; porque me pegaram docemente e sempre me encorajaram a continuar o meu caminho literário neste jornal centenário.

Faz este mês de dezembro 30 anos que sou colaboradora deste grande jornal que ao longo dos anos tem enfrentado dificuldades. Mas ainda acredito que ainda não é a hora de me despedir. Se calhar sou uma sonhadora. Não sei. Mas aprendi com as agruras da minha vida que nunca devemos desistir.
Se existem erros temos de assumi-los e melhorá-los. Temos de nos unir e arranjar estratégias produtivas para darmos a volta por cima. Se não conseguirmos saltar fronteiras que saltemos etapas.

Deus queira que em dezembro de 2020 esteja aqui a escrever mais um artigo, é sinal que estou viva e que o sonho continua. Para terminar agradeço de coração a todos vós queridos leitores(as) por lerem e gostarem da minha maneira de escrever. Bem hajam.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Ler Mais...
Jornal O Almonda, 2020 © Todos os direitos reservados