SEMANÁRIO REGIONALISTA DE TORRES NOVAS | FUNDADO EM 1918 | ANO CI | Diretor: Nuno Vasco Batista Nunes | Sexta-feira, 25 Setembro 2020, 11:11

O Ensino no Concelho de Torres Novas na 2ª Metade do século XIX – 25

1887

A 2 de Janeiro, a Câmara eleita em Novembro, toma posse.i Realça o compromisso dos partidos principais, regenerador e progressista e a influência crescente de Alcanena na política autárquica, onde chega a ter três vereadores.ii

Nacionalmente, o mês de Janeiro vê morrer, subito, a 23,a sua maior figura política da segundo quartel do século e chefe do Partido regenerador, Fontes Pereira de Melo .iii

Localmente, acaba, com pouco mais dum ano de existência, dentro dos objectivos lançados pelo ministro Luciano de Castro, o Colégio Valverde, instalado na casa da Enfermaria, quando o professor José Augusto dos Santos, deixando de ser director e professor do mesmo, informa que cessa a organização primitiva do estabelecimento e a « Camara podia tomar conta da casa onde aquelle estabelecimento estava montado, e tomar entrega d’uns mappas geographicos e outros utensílios, que lhe tinham sido cedidos para o serviço escolar».Sem outras informações, a Câmara solicita-as ao Doutor Guilherme Bobbio Porzia, pároco de Santiago, a quem em Novembro de 1885,se cedera o edifício para a instalação do colégio. Este, contudo, irá funcionar até ao fim do ano lectivo, pois só em Agosto chega um ofício de Bobbio, como director do Colégio, «agradecendo o emprestimo dos mapas e esferas, tudo em bom estado», participando então «não mais funcionar o referido colegio».iv Aliás, em Fevereiro, a Câmara indefere uma despesa feita pelo Dr Bobbio ,de melhoramentos de obras, no referido colégio, por não ter tido conhecimento delas, nem , por isso, autorizado .v

Em Fevereiro, é nomeado ajudante do ensino feminino elementar de Alcanena, D. Capitolina Gameiro dos Santos.vi

No mês seguinte, suspende o pagamento do vencimento do professor de Parceiros, por a escola não estar em funcionamento. O problema só virá a ser resolvido em Maio, quando a escola volta a ser aberta, e o professor remunerado.vii

A 28, em ofício ao administrador do concelho, A Câmara resume a situação das escolas públicas, em resposta ao recenseamento escolar, deliberado ter sido realizado entre 13 e 28 de Fevereiro.viii Na secretaria da Câmara tinham entrado os recenseamentos, de ambos os sexos, das freguesias de Alcanena, Brogueira, Bugalhos, Parceiros, Santa Maria, S. Pedro, Salvador e S. Tiago. Só do sexo masculino, por não haver cadeira feminina, das freguesias do Paço, Pedrógão, Ribeira e Santa Eufémia. Das restantes freguesias do concelho, Alcorochel, Assentis, Lapas, Monsanto, Olaia e Zibreira, nada se recebeu, o que faz a Câmara suspeitar de que se não fez recenseamento, o que contraria a legislação em vigor e deve merecer medidas administrativas coercivas.ix

Em Abril é nomeado professor oficial do ensino elementar de Árgea, o Padre Faustino Ferreira do Espírito Santo, com o ordenado anual de 120 mil rs e gratificações da lei.x

Contudo, as despesas escolares são pesadas para o orçamento municipal, como o reconhece, em Maio, o Presidente Pinto Lopes em ofício ao administrador do Concelho, visto que não recebe subsídio algum da Junta Geral do Distrito e as previsões orçamentais não correspondem às verbas efectivamente recebidas, sendo obrigada a um orçamento suplementar para pagamento das dívidas aos professores, que se encontra afecto a aprovação superior.xi

Isso se comprova na resposta aos quesitos do Sub-inspector escolar, numa análise da vida escolar concelhia:

1 – Professora do lugar de Árgea – Conceição da Silva Baptista, nomeada professora temporária (25/6/1886); a escola feminina de Monsanto se acha vaga desde Dezembro do mesmo ano.

2 -Professor da Mata, Nicolau Jorge Calado, de licença, virá reger a cadeira após aquela.

3 /4 – Neste ano só funcionaram cursos nocturnos, dois na vila e um na Chancelaria, concedido a pedido da Junta, por 6 meses.

5 – Suspendeu o pagamento dos ordenados no mês de Março, ao professor de Parceiros, Manuel Gomes Vicente, que sem justificação prévia fechou a escola a seu cargo.

6 – Está vaga a cadeira feminina de Monsanto, e as do sexo masculino de Alcanena e Moreiras, estas nem vitalícia, nem temporariamente, por falta de candidatos no respectivo concurso, estando regidas interinamente.

7 – Ainda não está organizado o plano geral escolar do concelho

8 – Não foram nomeadas Comissões de Beneficência e Ensino.

9 – A Junta escolar é constituída pelos seguintes cavalheiros, nomeados em 8/10/1885: Pres – Dr Eduardo dos Santos Rodrigues, Secretário – José Henriques d’Oliveira, Vogal António Soares Bexiga

10 – mapas

11 -A alguns professores do Concelho em exercício há mais de 6 anos já foi concedido aumento do seu ordenado na razão de 25%, recebendo-o já. A outros, porém, foi-lhes concedido, mas não o receberam por aguardarem a organização do orçamento suplementar e para o efeito.xii

Outras medidas até o fim do ano;

Nomeada ajudante da escola mista do Outeiro Grande, por substituição temporária da professora, D, Carlota Hermínia de Almeida e Silva (5/5); para ajudante de Alcanena, Hermínio Pereira da Silva (14/7).

Agradecimento do Ministério das Obras Públicas – através da Inspecção das escolas de Desenho Industrial, circunscrição do sul , pela cedência de mais quatro salas para aescola de Desenho Industrial Vitorino Damásio(18/8).xiii

Nomeação da nova Junta Escolar Concelhia, constituída pelos cidadãos António d’Oliveira Fortes, vereador, João Maria Lúcio Serra e António Raimundo da Silva, todos da vila(8/9).

A crise agrícola que se fez sentir no concelho traz consequências em relação aos alunos matriculados, a ponto do professor do ensino elementar e complementar da vila pedir a 3 de Novembro, prorrogação da prazo de matrícula até ao fim do mês, porque no previsto, poucas crianças o teriam feito, «talvez por andarem entregues aos trabalhos agrícolas próprios da época? ».xiv

Conclua-se o ano com um curioso pedido de substituição temporária , feita pelo professor da Rexaldia, que indica a sua mulher, «por se encontrar cumprindo sentença na cadeia da Vila».(10/11).

iPresid., Dr Rafael Pinto Lopes, V. Pes. Augusto Pereira Bretes, António d’Oliveria Fortes, José Francisco Ferreira da Paula, José Machado, João Baptista Vassalo., José d’Oliveira Machado, nomeado Administrador do Concelho do Cartaxo, é substituído, a 20/1 , pelo seu conterrâneo José Fernandes Ribeiro do Avelar(A. Cam. 20/1/1887, fls 83),,por sua vez , substituído a 31/3, por José de Araujo.

ii Machado, Vassalo, Oliveira Machado, depois Avelar.

iii A. Cam, 27/!/188, fls 84 v.. Dr Pinto Lopes considera tal falecimento «uma perda nacional»

iv Gonçalves, Artur, Memórias de Torres Novas, p.97. Faziam parte do corpo docente inicial , além dos citados, Pedro Francisco Massano de Amorim, 1º tenente de artilharia nº 2,, João Maria Lúcio Serra, na altura amanuense da Câmara Municipal.

v Idem, 24/2/1887, fls 104 v.

vi Idem, 3/2/1887, fls. 86; C. Of, 6/5/1887,21 v; A.Cam, 12/5/1887,fls 117 Filha da professora da freguesia, D. Maria das Dores Gameiro,que pede exoneração, mas não será substituída pela irmã, D. Henriqueta Gameiro dos Santos., por indeferimento da Junta escolar.

vii Idem, 3/3, fls 106, 12/5, FLS 117.

viii Idem, 3/2, fls 86.

ix C. Of, 28/3/1887, fls. 16 v.

x A. Cam., 15/4/1887, fls 111. Toma posse a 12/5, fls 117.

xi C. Of, 7/5/1887, 142.

xii C. Of, 8/6/1887, fls 31-32.

xiii Só com uma análise dos arquivos da Inspecção existentes no M.O.P., se poderá estudar a importância desta escola no concelho, nos anos que aqui existiu.

xiv A. Cam, Lº 237, 4/11/1887.

Partilhe!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on reddit
Reddit
Jornal O Almonda, 2020 © Todos os direitos reservados