Home > Sociedade > Câmara recuou no IMI

Câmara recuou no IMI

Em reunião pública extraordinária de Câmara, que se realizou na quinta-feira, dia 8, a Câmara decidiu recuar na decisão de aumentar o IMI, propondo até um ligeiro recuo em relação ao imposto.

Mas outra boa notícia haveria de ser conhecida nesse dia, e logo no início da reunião Pedro Ferreira, o vice-presidente, informou que o PAEL para a Câmara de Torres Novas fora “visado” com apenas 40 cêntimos de diferença, o que significa que os fornecedores e credores da Câmara em breve vão começar a receber o que lhes é devido.

IMI vai descer

Afinal o IMI vai descer, ainda que seja 0,01% em relação ao ano anterior. Em sessão de Câmara o Presidente explicou que quando se aprovou o aumento do IMI não eram ainda conhecidos os pressupostos do PAEL e, jogando à defesa, a Câmara foi para o aumento máximo. Agora que já se conhecem esses pressupostos será possível baixar o IMI, que, recorde-se, já tinha sido aprovado com um aumento, de 0,4 para 0,5, tendo sido necessário recorrer ao voto de qualidade do Presidente da Assembleia Municipal. Acrescentou ainda o Presidente que à data da aprovação do aumento ainda não era conhecido o impacto da atualização das cadernetas prediais, nem do Orçamento de Estado, que é muito penalizador em impostos. Avançou ainda o Presidente que o Governo se estará a preparar para exigir o excesso de IMI às Câmaras, coisa que não aceita, declarando: «Isso não! Isso não é poder local».

A proposta da Câmara acabou por ser a seguinte: baixar o IMI para 0,39 e o CIMI de 0,8 para 0,7. Carlos Tomé contra propôs, com 0,3 de IMI e 0,6 de CIMI, assim como Vitor Antunes, do PSD, que propôs 0,375 de IMI e 0,7 de CIMI, mas acabaria por ser aprovada a proposta do executivo socialista. A proposta agora terá de ser novamente aprovada na Assembleia Municipal.

LML

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *