Home > Colaboradores > Joaquim Canais Rocha > Santa Cruz, a praia que não se esquece

Santa Cruz, a praia que não se esquece

De volta à praia de Santa Cruz, após uma ausência forçada por questões de saœde, em 2011, é sempre com prazer que visitámos uma praia que nos apaixonou, pela sua beleza natural, há mais de cinquenta anos. Nesses tempos longínquos, ainda não existia qualquer parque de campismo, tudo era mais selvagem. O campismo ainda se fazia de saco às costas e onde a palavra de ordem era a amizade entre os companheiros que por este País íamos encontrando. A falta de liberdade unia muito os companheiros que lutavam, no anonimato, por esse dia que viria a chegar no 25 de Abril de 1974. Como o tempo passa depressa e já se passaram 38 anos. A praia de Santa Cruz tornou-se, nos dias que correm, mais cosmopolita, particularmente em Agosto e no período da época alta. Mas apesar dessa modernidade a que não se pode fugir, ainda mantém alguns traços que nos fazem recordar o passado. O parque de campismo é um deles, administrado pelo Clube de Campismo de Torres Vedras. Já há alguns anos que não víamos tantos estrangeiros em Santa Cruz, mais espanhóis e brasileiros. Além de outras nacionalidades. é saudável abrir o parque àqueles que nos visitam. Sendo um parque de passagem, todavia muitos turistas ficam encantados com a beleza da Praia da Formosa e não só, acabando por ficar vários dias e quando partem já sentem saudades de um dia regressar. Um dos poucos senões de Santa Cruz é a mudança constante da temperatura. Porque quando aquece é de queimar, mas a leve aragem que sopra, é um equilibrador para o corpo suportar o calor. Uma das várias novidades deste verão, nesta praia balneária, são as várias lojas dos chineses que começam a fazer parte do comércio tradicional, daquele que vai sobrevivendo. Se não sabia fica a saber que os comerciantes chineses estão a diversificar o seu comércio e já possuem super-mercados de frutas e de muitos outros artigos comestíveis. E têm muita clientela e já dialoga com os fregueses explicando os benefícios desta ou daquela fruta. A crise  obriga a que as lojas, em pleno verão, apresentem os seus saldos  e com percentagens de 50% de descontos. Também a feira do livro aparece sempre neste período, com boa frequência. Todavia os livros expostos são edições recentes com custos elevados. Ora uma feira do livro deve ser caracterizada por livros antigos e a preços reduzidos, para terem saída.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *