Home > Sociedade > No sapatinho está a conclusão do Fórum Sócio-Ocupacional

No sapatinho está a conclusão do Fórum Sócio-Ocupacional

No CRIT (Centro de Reabilitação e Integração Torrejano), a manhã de sexta-feira, dia 16 de Dezembro foi cheia de cantigas, muita emoção, e grande alegria.

A magia do Natal tomou conta da festa alusiva à quadra natalícia que só terminou à hora de almoço.

Este ano a organização da Festa de Natal esteve a cargo da Valência Sócio Educativa.

O Ginásio da Instituição foi demasiado pequeno para o grande número de pessoas que se ali juntou e a propósito disto mesmo, a Direcção assumiu ainda que a partir do ano que vem irá fazer a festa noutro espaço “eventualmente no Teatro Virgínia”.

A festa começou com música oferecida pela Valência Sócio-Educativa. Depois subiram ao palco as  Sevilhanas do Centro de Actividades Ocupacionais (CAO). A Turma de Música do CRIT e Os Trickis do CAO, cantaram e encantaram. Subiram ainda ao palco Os Aventurados do Centro Comunitário Rosto, aos quais se seguiram o  Grupo de Danças e Cantares do CAO. Já a terminar destaque para o  Grupo de Dança – Formação e Emprego e para Grupo de Cantares composto por colaboradores do CRIT.

Durante a festa foi ainda apresentado  um pequeno livro da autoria de uma das alunas da Valência Educativa, a Sónia Coelho que vive no Lar Residencial. O livro intitula-se “EU PRÓPRIA” e teve a colaboração da Alexandra Sirgado como ilustradora e da Sofia Ferreira na parte do grafismo e foi editado através do Gabinete de Comunicação e Imagem da Câmara com a Biblioteca Municipal . A Sónia é paraplégica e tem um  historial de vida muito interessante pelo que esta edição promete.

O presidente do CRIT, Pedro Ferreira desejou as boas festas aos presentes e disse a «O Almonda» que este ano a Instituição terá uma prenda especial no sapatinho. A obra do Fórum Sócio-Ocupacional, na Rua Alexandre Herculano está concluída, e “só aguarda a decisão do Ministério da Solidariedade e Segurança Social para se formalizar um Acordo Atípico que garanta as verbas de funcionamento para esta unidade ocupacional para doentes mentais estabilizados”, disse Pedro Ferreira.

Célia Ramos

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *