Home > Sociedade > Liga dos Amigos do Hospital de Torres Novas inaugura sede e celebra aniversário

Liga dos Amigos do Hospital de Torres Novas inaugura sede e celebra aniversário

A Liga dos Amigos do Hospital de Torres Novas teve no Domingo, dia 27 de Novembro, um dia em cheio. De manhã inaugurou as novas instalações da sua sede, na Quinta da Silvã e à tarde celebrou o 15º aniversário com amigos e associados num almoço que decorreu na Quinta das Carrascosas.

Manuel Ligeiro, o Presidente da Liga, recuou até 1996, altura em que a sede da Liga ficou instalada no antigo Serviço de Sangue do velho hospital, «um local velho e frio», que em nada se compara com a nova sede, com instalações para serviços administrativos e um local onde poderão ser dados cursos de formação aos voluntários. No antigo espaço, recordou, «aconteceu de tudo», pois foram assaltados, ficaram sem luz e água e até chegaram a ser despejados pela Câmara, pois em determinado momento «a Câmara desconhecia a nossa existência nas instalações». Continuando completou a história, «em 2009 a Câmara precisou do espaço e tivemos de abandonar as instalações no espaço de uma semana». Nessa altura viraram-se para o município e pediram-lhes auxílio, tendo a Câmara encontrado algumas soluções para a Liga se instalar. Só a Liga entendeu que deveria ter uma solução mais duradoura e que permitisse satisfazer as suas prementes necessidades, depressa chegando à conclusão de que necessitavam de uma sede própria «em instalações condignas». Procurou-se então encontrar um local que permitisse realizar as tarefas diárias, bem como as de direcção e de formação. Esse foi o objectivo quando avançaram com a ideia de uma sede própria. No final acrescentou ainda Manuel Ligeiro, «esperamos que tenha valido a pena e que se venha a provar que não fizemos asneira».

Pedro Ferreira, o vice-presidente da Câmara, em representação da autarquia, homenageou o espírito de voluntariado que preside à Liga e que se encontra um pouco por todo o concelho, recordando que por cá encontramos mais de 30 Instituições Particulares de Solidariedade Social. Depois reconheceu a situação menos agradável da antiga sede da Liga, dizendo que de facto «as coisas não correram tão bem». Por outro lado felicitou a dinâmica da Liga que «soube dar a volta à questão», conseguindo «arranjar um espaço condigno e, pelo caminho, enriquecer o património», que nestas coisas das associações não é de somenos importância. Por fim deixou ficar a promessa que a Câmara espera em breve «poder ajudar de outra forma e limpar essa pontinha de impressão negativa que possa eventualmente existir».

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook