Saldos

Os saldos é uma forma das pessoas adquirirem artigos a preços de baixo custo. Podem não ter a qualidade dos artigos de moda, mas servem perfeitamente para o dia a dia de cada um. Antigamente os saldos aconteciam uma vez por ano e as pessoas sabiam que a hora de comprar artigos de baixo custo estava próxima. Juntavam alguns escudos – que saudades temos do escudo que dava para comprar muita coisa ao contrário do euro – e depois compravam daquilo que necessitavam. Apesar de não serem artigos de marca registada eram contudo muito úteis porque nos levavam a usar menos os artigos com alguma qualidade. Isso acontecia porque uma boa parte das pessoas com menos rendimentos vestiam habitualmente dois tipos de roupas. Ou seja ao fim de semana é que a roupa mudava. Nos meus tempos de juventude e já lá vão para cima de 50 anos, nós fomos educados a vestir dois tipos de roupa. De semana para ir para o trabalho ou para a escola, vestia-se uma roupa mais simples e que podia sujarse à vontade sem ter que apanhar dos Pais. Porque existia uma responsabilidade nas pessoas e nos filhos, que aquilo que comíamos e aquilo que vestíamos, tinha custado os olhos da cara aos nossos Pais. Aos Domingos era costume vestir a fatiota nova, calções ou calças, uma camisa de mais qualidade e uns sapatos mais engraxados, que pareciam novos. Era o dia da Família, do ir à missa, de passear, de ir ao futebol ou ao cinema ver aqueles filmes de trinta e uma partes, os de capa e espada, os do Tarzan e por fim os de cowboys, com a rapariga sempre a ser salva pelo galã da época. Era na verdade outro tempo, mais real, mais transparente e mais solidário. Felizmente que tudo mudou para melhor – será? – e hoje já quase não existe essa diferença no vestir. As pessoas hoje vestem-se como se todos os dias fossem domingos. Não existe qualquer diferenciação. Onde se operou maiores diferenças foi nas mulheres, particularmente naquelas que trabalham, porque no nosso tempo poucas trabalhavam. Ficavam em casa a tomar conta dos filhos e pouco tempo lhes sobrava para fazer outras coisas. Hoje é excepção ficar em casa, porque a mulher tem um outro estatuto. Mas quanto a igualdade de direitos e oportunidades, ainda é o homem que decide em muita coisa. Mas voltemos aos saldos e falemos dos seus preços. Olhamos para as montras de alguns estabelecimentos e vemos descontos que oscilam entre os 40%, 50% e 70%. Ainda que os saldos sejam uma forma dos comerciantes facturarem alguns monos que não conseguem vender ou passaram de moda, faz-nos sempre confusão saber que tipo de artigo está à venda e tem um desconto de 70%? É quase de borla… Agora e por causa da crise, os saldos acontecem com mais frequência. Também é uma forma de fazer algum movimento.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *