Home > Sociedade > Adesão à “Águas do Ribatejo” vale 30 milhões de euros

Adesão à “Águas do Ribatejo” vale 30 milhões de euros

p1_agua_grd 

 

O processo de adesão de Torres Novas à empresa intermunicipal “Águas do Ribatejo” terminou na segunda-feira, dia 11, com a assinatura do protocolo que formaliza a entrada do município torrejano naquela empresa. Foi o culminar de um processo que conheceu avanços e recuos, que durou anos, mas que no final irá garantir intervenções na área do saneamento e distribuição de água no valor de 30 milhões de euros. António Rodrigues, o autarca torrejano, e Sousa Gomes, o presidente da “Águas do Ribatejo”, brindaram no final da cerimónia com água, numa alusão ao momento feliz que era vivido pelas duas partes. Para o presidente da Câmara este momento foi para Torres Novas o «mais importante depois do 25 de Abril».

 

Sousa Gomes saudou a decisão de Torres Novas em ingressar na empresa intermunicipal, lembrando que esta nasceu da iniciativa de municípios que resolveram criar uma empresa com objectivos ambiciosos, que passam por dotar a população que servem com água potável para todos e saneamento consoante o que os índices europeus o permitam. Sousa Gomes classificou a iniciativa como «uma aventura com passos seguros», pois haverá que contar com a «solidariedade entre municípios». Disse na ocasião que tinha conhecimento de que António Rodrigues teve muitas dúvidas, mas que acabaria por ficar convencido pela «prática da “Águas do Ribatejo”». Depois da entrada de Torres Novas espera-se que hajam outros municípios a dar os mesmos passos, aumentando assim ainda mais a capacidade negocial da empresa intermunicipal.

 

António Rodrigues começou por considerar que aquele era um acto «invulgarmente importante» para a região e para Torres Novas. Disse mesmo que aquele era, após o 25 de Abril, um dos actos com «mais importância para o futuro» do concelho. Disse ainda estar satisfeito por os municípios terem provado que são capazes de ser solidários. Em suma, disse que para o município «foi a melhor decisão até hoje», sublinhando o grande número de autarcas que deu apoio à decisão, entre vereadores e presidentes de junta, passando por membros da assembleia municipal.

 

Sobre a contrapartida para a Câmara, de 30 milhões de euros, disse o presidente, «alguns irão perguntar-se: será mesmo verdade que vão ser investidos 30 milhões de euros?» para o próprio dar a resposta de forma categórica, «É!». Este é um investimento «importante» e acrescentou, «não estando tudo feito este investimento vai deixar praticamente tudo feito» no que diz respeito às grandes obras do concelho. Para António Rodrigues, com a adesão à “Águas do Ribatejo” estamos «a fazer história», destacando ainda que aquela empresa intermunicipal é caso único no país, pois a gestão das águas, em alta e em baixa, envolve apenas autarquias. Uma das razões, e que foi fundamental, que levou Torres Novas a decidir-se por esta empresa intermunicipal foi porque nela encontrou o «espírito de servir as pessoas».

 

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook