Home > Sociedade > As portagens… outra vez

As portagens… outra vez

 

Após a expressão de desagrado por parte da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) na audiência da “Comissão Parlamentar de Obras Públicas, Transportes e Comunicações” fomos procurar esclarecer junto desta entidade as informações contraditórias em oposição às oferecidas pela SCUTVIAS. Desta forma, enquanto a concessionária do troço da A23 que liga Abrantes à Guarda (SCUTVIAS) afirma que a sua actuação no troço entre Abrantes e Torres Novas se limitará à inserção de pórticos, ficando a gestão entregue à Estradas de Portugal, a CIMT toma a posição de que o troço em questão não pode ser alvo de cobrança de portagens precisamente por não ser concessionado.

 

O deputado do BE, José Gusmão, acrescenta ainda que a polémica incide sobretudo no decreto-lei que deu azo à permissão de cobrança de portagens por parte da SCUTVIAS, que menciona os troços integrados na sua concessão, mas não menciona o troço entre Abrantes e Torres Novas, que não se encontra concessionado. “O decreto-lei em questão não autoriza a EP a introduzir portagens em toda a A23, porque diz respeito apenas aos troços que estão concessionados pela SCUTVIAS (…) O nosso entendimento é que a EP não pode introduzir portagens no troço entre a Zibreira e Abrantes”.

O vereador do BE no Entroncamento, Carlos Matias, aproveitou as declarações à comunicação social sobre o ACDE – Agrupamento dos Centros de Saúde da Serra d’Aire – para afirmar que existe uma estratégia de “amortecimento” da polémica envolvendo as portagens neste troço. Para confirmar estas afirmações recorda que o secretário de Estado dos Transportes fez uma visita ao troço alternativo à A23 entre Abrantes e Torres Novas quando na prática já estava em curso a preparação para a instalação de pórticos. “Existe uma estratégia para alimentar expectativas e não responder a algumas questões, quando criam condições no terreno para a aplicação de portagens”, afirma o vereador.

 

João Rodrigues

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook