Home > Sociedade > Lar de Infância e Juventude já se encontra em funcionamento

Lar de Infância e Juventude já se encontra em funcionamento

 

Desde o dia 17 que entrou em funcionamento o LIJ (Lar de infância e juventude) de Torres Novas, destinado a acolher jovens e crianças do sexo masculino que precisam de apoio e acolhimento.

 

As crianças que irão habitar o lar provêem de famílias desestruturadas ou são órfãs. Manuela Neves, a Presidente do CEBSZA, explicou a “O Almonda” que a sua instituição aceitou o desafio de arranjar a estas crianças um lar, providenciando uma casa, comida, roupa e principalmente afecto, comentando a propósito, «temos de as assumir a 100%».

 

Inicialmente o lar esteve projectado para acolher crianças com menos de um ano de vida, mas as necessidades do distrito nesta área apontavam para uma faixa etária mais alta, a partir dos 12 anos. Por essa razão o projecto foi alterado e a casa acolhe crianças a partir dos 12 anos até aos jovens de 18. Quem faz a triagem para o envio de crianças para a casa é a Segurança Social, cumprindo ordens emanadas pelo tribunal.

 

Quando esta edição do jornal for publicada a lotação da casa, de doze, estará quase completa, situação que só por si é exemplificativa da premente necessidade que a casa era no distrito. Para lidar com os jovens há uma equipe constituída por pessoal de apoio, técnico e educativo. O CBESZA já tinha inaugurado a casa em 2009, mas só agora estiveram reunidas todas as condições para avançar com o projecto.

 

Em Torres Novas não havia nenhuma outra instituição com a capacidade instalada que o CBESZA já tem, razão porque também a Segurança Social terá procurado esta instituição para lhe lançar o desafio. Será preciso ter um quadro técnico preparado para lidar com crianças que terão um percurso que as afectou negativamente, principalmente a nível psicológico. É por essa razão que a equipe técnica tem uma assistente social, uma psicóloga e uma educadora social, que irão dar apoio às crianças e jovens que ali forem colocados. Por outro lado, dada a grande latitude de acção do CBESZA, vai ser possível conjugar com as outras valências o trabalho, procurando que os jovens se integrem na sociedade e experienciem um necessário processo de socialização. A equipe educativa estará sempre com eles, tanto de dia como de noite. Esta equipa foi formada propositadamente por mulheres e homens, para simularem as figuras paternais.

 

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook