Home > Sociedade > Entregues os diplomas de 12º ano a 184 alunos do Agrupamento Artur Gonçalves

Entregues os diplomas de 12º ano a 184 alunos do Agrupamento Artur Gonçalves

 

Na Escola Artur Gonçalves, na quarta-feira, dia 8, realizou-se a cerimónia de entrega de diplomas aos alunos que completaram o 12º ano. Depois de um momento musical que abriu com o “Fado do Estudante”, chegou o momento dos 184 alunos receberem o diploma e os votos de maiores sucessos.

 

Este ano o Ministério da Educação estipulou que no dia 8 fosse o dia em que se realizava a entrega dos diplomas. No Agrupamento Artur Gonçalves foram 184 os alunos que receberam diploma e Acácio Neto, o Presidente do Agrupamento, sublinhou o desempenho da “fornada” que agora concluiu o secundário, dizendo deles que foram «um grupo fantástico» que tinha alcançado uma média de quase 16 valores, dizendo por isso que a escola lhe estava «reconhecida». Mas para que os alunos obtivessem aquele resultado, lembrou ainda Acácio Neto, houve todo o esforço de um grupo alargado, desde os professores, passando pelos encarregados de educação, até aos funcionários da escola.

 

Luísa Carvalho, a Presidente do Conselho Geral da Escola, disse por sua vez que as turmas «dignificaram a escola com trabalho» e que os alunos que agora concluíram os estudos irão ficar sempre «na memória» de todos os que com eles trabalharam.

 

A jovem e finalista Presidente da Associação de Estudantes, Rita Marouço, não foi de modas e declarou logo «como podem calcular é com enorme prazer que concluímos o secundário» acrescentando «e estamos ansiosos pelas praxes [nas Universidades]». Em seguida fez votos que os seus colegas que concorreram ao ensino superior tivessem entrado na primeira opção e desejou as maiores felicidades a todos.

 

A vereadora Manuela Pinheiro, que tem o pelouro da Educação, confessou que era com grande prazer que visitava a escola, especialmente por aquele ser um momento festivo. Falando como mãe e como professora contou também a sua experiência pessoal quando viveu um momento semelhante quando os seus filhos foram para o ensino superior. Lembrou que aquele é sempre «um momento difícil» porque há uns que querem ir realizar os seus sonhos e, por outro lado, há os que ficam a vê-los partir, temendo pela sua segurança e bem-estar longe da família. Depois adoptando uma postura oficial declarou, «como Câmara felicito todos» e rematou, «a média que obtiveram equivale a dizer que houve um grande esforço de equipa» terminando com um desejo de «boa sorte».

 

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook