Home > Colaboradores > Jorge Pinheiro > Obras de manutenção

Obras de manutenção

 

Se fazer obras novas não é fácil porque depende de planeamento, de objectivos, de prioridades, da gestão do território, de vontade e de financiamento sustentável, fazer a sua manutenção por vezes é muito mais difícil.

 

Vem isto a propósito de recentes obras de manutenção de algumas artérias de Torres Novas que delas estavam bem carenciadas. Houve aplicação de novos tapetes betuminosos e já se começam a ver as sinaléticas horizontais pintadas de fresco que também são indispensáveis ao bom ordenamento do trânsito. Só é pena que estas mesmas obras não possam ser mais abrangentes pois há bairros inteiros, como é o caso de Santo António, que bem precisavam de novos pisos, como também a Miguel Arnide e a Calçada António Nunes que está numa vergonha. Porém se de Santo António e da Calçada António Nunes se poderá dizer que aí as obras quando forem feitas terão que ser mais profundas com remodelação das redes de águas, esgotos, electricidade e fibras para as comunicações, da Miguel Arnide já não se poderá dizer o mesmo na medida em que as suas infra-estruturas têm pouco mais de 20 anos. Vamos esperar para ver pois estes apontamentos são meros exemplos ao acaso de muitos outros a necessitar também de obras de manutenção. Mas ainda a talho de foice, entendo que é oportuno lembrar que se a Ladeira do Hospital Militar e bem assim a Variante do Bom Amor. junto ao cruzamento de acesso à cidade, levassem uma camada de piso anti derrapante, aqueles locais ficavam muito mais seguros. É só a lembrar. São casos que estão à vista. E nem sequer temos o atrevimento de falar da Estrada do Alvorão.

 

Não se sabendo portanto se estas obras vão continuar, de qualquer forma, aquelas que já estão feitas merecem aprovação generalizada. No entanto, à vista desarmada e aos ouvidos em razoável estado de funcionamento, notam-se algumas irregularidades nos novos pisos que provocam um ruído diferente no acto da condução quando por ali se passa de carro. Mas pode ser que não seja nada. Até pode ser que passe com o tempo.

 

Já que estamos a falar de obras de manutenção, regista-se com agrado que o Modelo, a primeira das muitas superfícies comerciais instaladas em Torres Novas, este Verão brindou os seus clientes com a manutenção dos seus parques que de facto têm já um visual muito melhor. Só foi pena que não tivessem sido retiradas aqueles pilares de ferro que suportam as coberturas nos parques e estão instalados dentro do próprio parque, complicando a arrumação das viaturas, quando poderiam ter sido deslocados para a placa central existente entre os parques. Material não seria necessário, até sobraria muito uma vez que eram retirados dois pilares e só seria colocado um. Mão-de-obra também não seria muita. Mas pronto ficou assim. Pode ser que mais tarde ou mais cedo aconteça a requalificação. O que não pode nem deve ficar assim é a falta da sinalização vertical que deve orientar o trânsito dentro dos próprios parques. Foram alterados alguns sentidos do trânsito, foram feitas as sinalizações horizontais, faltam portanto as verticais. Por este facto já por ali têm acontecido algumas confusões de trânsito desnecessárias.

 

Se esta onda de obras de manutenção relacionadas com o trânsito continuar, pode ser que desta vez também o parque subterrâneo do Shopping possa ver a sua sinalética horizontal repintada, que bem precisa.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook