Home > Sociedade > O Organismo Autónomo de Basquetebol do CDTN pode estar risco

O Organismo Autónomo de Basquetebol do CDTN pode estar risco

 

Se a situação se mantiver o futuro do Clube poderá ter em breve o fim do percurso. “Se não aparecer no curto prazo, e este prazo é de duas semanas no máximo, apoios financeiros fortes por parte de empresas e/ ou privados, o Clube não poderá continuar com esta equipa, sob pena de não sermos capazes de assumir os compromissos. E isso é algo que não iremos fazer.” Afirma Nuno Santos.

 

O Clube já procurou apoio junto da Autarquia, que se mostrou preocupada com a situação actual e interessada em colaborar. No entanto há problemas que se impõem e travam esta colaboração imediata. “Solicitámos uma reunião e informámos recentemente a Câmara da situação, ao que obtivemos abertura por parte desta em encontrar e colaborar para a resolução da mesma. O problema prende-se principalmente pelos regulamentos em vigor para atribuição de subsídios, que não permitem transferências monetárias para os Clubes fora do âmbito do aprovado anteriormente e ao inicio de cada época. De qualquer modo, temos tido o apoio logístico da Câmara.” Explicou Nuno Santos, ao que acrescenta, “urge alterarmos este regulamento de atribuição de subsídios, que não premeia quem melhores resultados obtém, que não distingue os níveis de competição (Nacional ou Distrital), que limita em muito os valores atribuídos, que não valoriza como deveria ser os clubes com trabalho meritório na área da formação, etc. De que vale termos investido em infra-estruturas, como o Palácio dos Desportos, se não tivermos equipas para as ocupar! De qualquer modo temos a esperança de termos ainda esta época apoio por parte da Autarquia.”

 

Neste cenário o apoio de empresários do concelho é indispensável. “As pessoas têm que entender que esta equipa leva o nome de Torres Novas a todo Portugal (incluindo Ilhas). Que outra equipa no nosso Concelho tem esta visibilidade? Que para o ano, e basta ficar nos 3 primeiros lugares este ano, poderemos integrar a Liga Feminina, que se prevê que promova seriamente o Basquetebol Feminino (é a intenção da Federação),  e que possivelmente trará a Torres Novas a televisão para transmissão de alguns jogos.

 

Célia Ramos

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *