Home > Colaboradores > 29º Aniversário da Galeria Neupergama

29º Aniversário da Galeria Neupergama

 

O Pintorsurrealista ÁlvaroLapa,que desdeDezembrose encontra numa exposição na galeria Neupergama, «Passagem», foi a escolha de José Carlos Cardoso, responsável pela galeria para assinalar o 29.º aniversário da sua existência.

 

Por motivos vários, só agora nos foi possível visitar esta interessante exposição, para agradecer também o convite que amavelmente sempre nos envia quando acontece uma exposição. Paralelamente a esta exposição uma outra de artistas mais consagrados que habitualmente expõem neste espaço, pode ser observada noutra sala da galeria.

 

A galeria Neupergama ocupa hoje no espaço cultural português, um patamar elevado e reconhecido pelos Artistas e apreciadores de Arte que a visitam. É já lugar-comum dizer que não é fácil existir na província uma galeria com tantos anos de vida e com uma qualidade artística exemplar. A Neupergama deve ser única.

 

Como não podia deixar de ser, falámos com o nosso amigo José Carlos Cardoso, que muito admiramos pelo seu trabalho cultural à frente da galeria, que nos foi dizendo que esta exposição é especial por se tratar dum pintor que sempre teve um carinho por este espaço.

 

Foi adquirida pela galeria, por vontade expressa do autor e quando foi pensado montá-la, dado o aspecto técnico-misto dos quadros, o José Carlos abordou o assunto com o pintor para se chegar a uma conclusão: obedecer a critérios selectivos de forma de expor os trabalhos. E assim aconteceu agora com esta exposição.

 

O catálogo que a galeria apresenta é sempre duma qualidade fora do normal. E desta vez tem a riqueza dum texto inédito do crítico e escritor Eurico Gonçalves, que traça uma panorâmica sobre o pintor e a sua obra.

 

«Sabes, quando foi para escolher quem seria o autor desta introdução para o catálogo, surgiram vários nomes. Todavia foi seleccionado o Eurico Gonçalves, que aceitou escrever este belíssimo texto, com a concordância do Álvaro Lapa». E José Carlos diz-nos ainda: «A galeria é uma das mais conhecidas no País, todavia é com pena que observamos a nossa actividade cultural quase completamente ignorada pelos jornais de grande audiência e a própria televisão, que desconhecem muito o País real…» O futuro? José Carlos vai continuar o seu caminho, sem desvios e cedências e faz votos que 2010 seja um ano em que a Arte, neste caso a Pintura, esteja nos planos de todos aqueles que se dedicam a esta nobre Arte.

 

Uma palavra final sobre a exposição, recorrendo a duas citações do texto de introdução de catálogo:

 

Citando Álvaro Lapa:

 

«A linguagem pictural de Lapa apela à reinvenção de um código tão simples quanto complexo, que abarca a inocência primordial da criança, os ritos do primitivo, a arte bruta do homem comum e a imaginação obsessiva e delirante do louco…»

 

******

 

«Escrevo porque sou um pintor falhado. Pinto porque sou um escritor falhado. Na convergência destes dois falhanços, a sua obra revela uma inegável autenticidade única e original…»

 

A exposição vai continuar patente na galeria até 28 de Fevereiro e merece, pelo seu conteúdo, uma visita demorada dos torrejanos e dos apreciadores de Arte.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *