Home > Sociedade > Ruy de Carvalho veio ao Natal do Hospital

Ruy de Carvalho veio ao Natal do Hospital

 

Realizou-se na tarde de sábado dia 12 de Dezembro o Natal do Centro Hospitalar do Médio Tejo, que este ano teve lugar na unidade do Hospital Rainha Santa Isabel de Torres Novas.

 

A tarde foi repleta de animação e convidados especiais que deram outro brilho e outra alegria ao átrio da entrada principal do hospital. O Grupo de Dança das Escolas EB1 e da Escola D. Maria II foram os primeiros a abrir a festa, seguido da ternura do coro do Jardim Escola João de Deus.  Um grupo de alunas da Escola de Dança “O Corpo da Dança”, sob a direcção de Marta Tomé dançaram e encantaram os presentes, ao qual se seguiu a música pelas vozes dos três primeiros classificados no Festival da Canção do CRIT de 2009. Um dos pontos altos da tarde foi a presença bem disposta do actor Ruy de Carvalho que veio conversar sobre Teatro. E a fechar a tarde, a actuação do Rancho  Folclórico do Pego e Escolinha.

 

Desde há três anos para cá que o Centro Hospitalar do Médio Tejo resolveu fazer a festa conjunta e Natal das três unidades hospitalares que integram esteCentro,(Tomar, Abrantes e Torres Novas), tendo este ano pela primeira vez, se realizado a festa no dia de sábado.  Foi uma tarde diferente para quem visitou o hospital neste dia, e onde não faltou a presença tradicional do Pai Natal que veio distribuir presentes pelos filhos dos funcionários do Centro Hospitalar.

 

O actor Ruy de Carvalho falou a O Almonda e confessou-se emocionado “quando as crianças me perguntaram várias curiosidades suas acerca da minha vida. Foi muito bom. Emocionei-mebastante comaquelasperguntas vindas de crianças tão pequeninas.” Disse o actor que confessa ter um gosto particular pela cidade de Torres Novas onde vem com alguma frequência.

 

“Deixaresperança àqueles que estão doentes, porque afinal o Natal é todos os dias, deixando-lhes tambémamensagem d’Aquele a quem dedicamos o Natal que é o Menino Jesus e que também nosajudamoralmente para que a doença desapareça. Eu também já estive doente e há que nunca perder a esperança!” Concluiu Ruy de Carvalho.

 

Célia Ramos

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook