Home > Região > Igreja “mexe” em Riachos

Igreja “mexe” em Riachos

 

«As obras e a assistência social não se podem separar. Senão corre-se o perigo de separar o que é a Igreja». Foi com este pensamento que o Pe. Fernando Augusto, o pároco de Riachos, deu conta do movimento que a Igreja e os seus grupos associados está a provocar em Riachos.

 

«Algumas pessoas dizem por aí que o Centro de Assistência é uma coisa e que a Paróquia é outra, e isso não é verdade. Eu digo que não. São parte da mesma coisa. É assim que a Igreja deve estar presente na sociedade, cumprindo o seu propósito nos três campos, na evangelização, na celebração da fé e com a vertente socio-caritativa. E por vezes algumas pessoas não entendem isso».

 

A grande obra

 

O projecto que está em curso em Riachos abarca precisamente as três dimensões de que fala o Pe. Fernando Augusto, pois todas «são interdependentes umas das outras». É por isso que a Igreja se preocupou em arranjar a nova sede dos Escuteiros, que fica paredes-meias com a Casa Paroquial, e se preocupou em conseguir cinco salas para a Catequese, remodelando a antiga sede dos Escuteiros.

 

Entretanto está a ser ultimada a “grande obra”, nos antigos terrenos da “Carlena”, o salão comunitário, que já recebeu o nome de “Salão de Santa Maria”. E se tudo correr bem, como se espera que aconteça, a sua inauguração acontecerá a 27 de Dezembro, a tempo de ali ser comemorada a entrada no novo ano. Este salão não irá servir apenas para a Igreja e os seus movimentos, mas irá também estar ao serviço da comunidade. Equipado com casas de banho com chuveiro ficará preparado para acolher peregrinos, grupos de escuteiros, ou outros grupos que necessitem de o utilizar.

 

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook