Home > Sociedade > Centro de Acolhimento Temporário, um sonho realizado

Centro de Acolhimento Temporário, um sonho realizado

 

Treze anos de espera. Espera pela concretização de um sonho que ia sendo adiado, mas que está agora prestes a ser realizado. A casa está pronta e decorada com gosto e retoques de carinho para receber as “crianças em situação de risco”.

 

 

 O Centro de Acolhimento Temporário, a mais recente valência do Centro de Bem Estar Social da Zona Alta, foi apresentado aos seus parceiros sociais na tarde de sexta-feira, dia 27 de Novembro. Manuela Neves, presidente da direcção do CBESZA disse que este encontro, serviu antes de mais, para apresentar aos futuros parceiros do CAT, (Centro de Apoio Temporário), as instalações e para reforçar a necessidade de um trabalho em parceria com as várias entidades. PSP, Saúde, Escola, Justiça e Segurança Social são alguns dos parceiros intervenientes na sinalização, tratamento do processo e encaminhamento que é feito nas muitas (demasiadas) situações de crianças em risco.

 

 

“Oito valências com o ideal de Humanizar a Cidade”

 

 

“O CAT é a oitava valência do Centro de Bem Estar Social e surge no seguimento do ideal desta instituição, que é a de humanizar a cidade”, disse a presidente da direcção. “Nas sete valências já em funcionamento, apostamos na qualidade num serviço sempre dirigido à comunidade” nesta valência do CAT, “queremos investir muito mais na qualidade e sobretudo nos afectos. Os afectos aqui têm de ser muito fortes. Queremos transformar as lágrimas” destas crianças “em sorrisos e as angústias em esperanças”. Disse Manuela Neves. A casa está pronta e  a equipa está formada, e já se “encontra a receber a formação necessária e adequada para os meninos que por aqui passam esta casa seja um marco nas suas vidas”, acrescentou.

 

Depois de uma apresentação sintética de cada uma das valências que passa pelo trabalho com crianças desde os zero anos (em creche) às crianças do Jardim de Infância, ou às que frequentam o Centro de Tempos Livres, passando pelos adolescentes que integram o EPA É pura diversão). Não esquecendo o apoio e cuidado continuado para com os idosos, e ainda as portas abertas à comunidade em geral, na valência das Actividades Aquáticas. Após esta apresentação sumária, e apresentada a equipa de profissionais que irão trabalhar, acarinhar e dar todo o apoio, noite e dia às crianças que por ali passarão, foi hora de visitar as instalações.

 

Célia Ramos

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook