Home > Colaboradores > Joaquim Canais Rocha > O Dia da Restauração

O Dia da Restauração

Vem aí o 1 de Dezembro para nos lembrar a data da independência de 1640. Há 369 anos que Portugal conquistou a sua independência ao revoltar-se contra o domínio espanhol e coube ao rei D. João IV (1640-1658) tal façanha, ao chefiar a revolta vitoriosa contra o domínio espanhol em Portugal. E talvez seja pertinente recordar aqui a terceira dinastia, a Filipina, que aconteceu nos anos 1580 até 1640, com os Filipes à frente dos destinos dos portugueses. Olhando agora um pouco para a história, lá consta que existiu um período de união pessoal entre Espanha e Portugal, o que permitiu que o rei de Espanha fosse também o rei de Portugal.

 

Foram três os Filipes, I (1581-1598); II (1598-1621); III (1621-1640) e que tiveram as seguintes alcunhas: O Prudente, O Piedoso e por fim O Grande. O primeiro esteve ausente da política interna lusa, dando o governo a um português de sua confiança; o segundo, após uma visita a Lisboa em 1620, morre na viagem de regresso a Madrid; e por fim o terceiro, que pela sua política provoca grande descontentamento e abre caminho à Restauração. Daí D. João IV se chamar O Restaurador. Hoje recordámos uma data histórica: o 1 de Dezembro.

 

*** ***

 

O Natal está próximo e a Cidade começa, aos poucos, a ganhar outra luz, mercê da iluminação das ruas e dos estabelecimentos. Só cheira a Natal, ouve-se na linguagem das pessoas. As castanhas assadas já regressaram à Ponte da Levada e o negócio, apesar da crise, vai-se fazendo. O movimento das ruas principais da cidade, começa a ser outro. Os comerciantes torrejanos, que tiveram um ano mau de negócio como já há muito tempo não acontecia, estão esperançados que neste período de Natal se consiga vender algo mais para equilibrar a balança das despesas.

 

Na verdade o pequeno comércio, o tradicional e que faz parte das raízes da nossa terra, está muitíssimo sobrecarregado de impostos e mais impostos que quase não os deixa respirar.

 

Se queremos um comércio tradicional moderno e forte, todos teremos de colaborar e apoiar e a melhor forma para o fazer é comprar neste período natalício, nas lojas da cidade, nos mais variados artigos.

 

Os comerciantes da cidade, com quem diariamente falamos, estão preparados de artigos para satisfazer os clientes mais exigentes, onde a qualidade e o atendimento, são marcas que os distinguem dos grandes supermercados.

 

 

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *