Home > Colaboradores > Joaquim Canais Rocha > Os outros que limpem…

Os outros que limpem…

 

Tudo gira à volta da Educação. Se as pessoas não forem educadas, particularmente os jovens, que não devem deitar coisas para o chão, sempre à espera que os outros limpem, por mais papeleiras que a Câmara Municipal coloque na via pública, o lixo é uma constante: são papéis, maços de tabaco, sacos, garrafas de água, latas de bebida, tudo serve para deitar fora. E o mais caricato de tudo isto é ver uma pessoa a comer num banco, tendo a seu lado uma papeleira, acaba por deixar no banco ou no chão, o lixo que fez. E vai-se embora como se nada tivesse feito com o pensamento típico de certas pessoas, os outros que limpem, como se fossem seus criados. Tudo isto denota uma falta de educação e não só. Mas se por vezes observamos pessoas de certa idade a deixar o lixo, onde estão, mais preocupados ficamos quando vemos crianças a fazer isso e os pais a nada dizerem, ou porque estão distraídos ou não se aperceberam.

 

Ainda a semana que passou, enquanto esperávamos uma pessoa amiga, observámos um jovem de 10/11 anos, com um pau na mão a dar cabo das flores do Jardim Municipal. Como não podia deixar de ser, intervimos, chamando a sua atenção para o que estava fazendo. E inquirimos: na Escola aprendeste a dar cabo das flores? Riu-se, não disse nada e lá seguia o seu caminho se calhar, mais à frente, a fazer o mesmo.

 

É certo que os adultos, com raras excepções, muitas vezes observam estas cenas e nada dizem. Afirmam que por vezes ouvem cada resposta, que os faz corar. E depois podem perder a paciência e é o cabo dos trabalhos. Assim é melhor fazer vista grossa e deixá-los a partir as coisas.

 

Ora pensamos que, como cidadãos, temos deveres e direitos. Os deveres é defender aquilo que pertence ao colectivo. Os direitos é chamar a atenção, seja adulto ou jovem, sobre o mal que está fazendo, dentro das regras da boa educação. Porque se todos nós interviermos, as pessoas ou os jovens, já pensam duas vezes antes de fazer mal.

 

Mas uma coisa é certa, grassa uma grande indisciplina e falta de educação na sociedade portuguesa, que é de assustar e perguntar que futuro será este, com este género de pessoas que não respeita nada. Nem a própria autoridade.

 

Há mais de trinta anos, quando visitámos Madrid, ao comer uma bucha junto a um monumento e como éramos portugueses, o Polícia só saiu de pé de nós, quando fomos deitar o lixo na papeleira. Já nesse tempo era proibido deitar coisas para o chão. Mas não chega ter leis para proibir – até temos leis a mais – o mais importante é ter Polícias na rua a fazer cumprir as regras de boa educação. Como estamos ainda longe desses parâmetros de civilização.

 

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *