Home > Sociedade > Fersant e Frutos Secos novamente em conjunto

Fersant e Frutos Secos novamente em conjunto

 

A Fersant e a Feira dos Frutos Secos vão realizar as suas iniciativas em conjunto mais uma vez, de 3 a 11 de Outubro. A apresentação dos dois certames decorreu na segunda-feira, dia 14, e cada um apresentou o seu programa para o evento.

 

O Engº Campos, da Nersant, classificou a vigésima Feira Empresarial de Santarém como «um certame com maturidade», que irá «promover o tecido empresarial» da região. Este ano a Fersant conta pela primeira vez com uma participação estrangeira, indo estar presente uma delegação angolana. Quanto ao número de expositores o certame dá sinais de alguma retoma, com um aumento em número quando comparado com a edição anterior.

 

A delegação angolana representa «uma janela de oportunidade», explicaria mais tarde o Engº Campos, pois convida «a uma relação séria e de partilha» onde haja «uma igualdade de direitos e de obrigações». Esta primeira iniciativa poderá dar azo a que «eventualmente haja mais empresas angolanas no certame no próximo ano».

 

Pedro Ferreira, da Câmara de Torres Novas, que detém a presidência da Associação Nacional de Frutos Secos e Passados, que organiza a “Feira dos Frutos Secos”, sublinhou o enriquecimento do certame com a inclusão de artesanato e da doçaria, mostrando ter muita confiança de que o evento irá continuar a ser um sucesso e atrair muita gente, pois, justificou, «Os produtos são tão bons que se impõem por serem tão bons». Pedro Ferreira destacou ainda a grande variedade das amostras presentes no certame e responsabilizou essa variedade pela atracção que gera, dizendo que o evento é tão popular que no ano passado atraiu 50 mil visitantes.

 

A autarquia irá manter o mesmo apoio do ano passado, na área da animação, levando ao certame artistas de cariz popular. A ACIS irá colaborar com o evento, patrocinando um comboio turístico que fará o transporte das pessoas da cidade para o certame. Os ingressos para o certame manterão o preço, de um euro.

 

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook