Home > Música > Novo projecto musical – “Os Outros” despontam em Riachos

Novo projecto musical – “Os Outros” despontam em Riachos

 

Os Outros” são uma banda constituída por quatro jovens, dois de Riachos, um de Torres Novas e outro de Santarém. A história deste projecto musical teve início pela mão de Luís Santos, que quis criar o seu próprio projecto, depois de ter integrado tournées de outras bandas da região. Quis, como afirmou a “O Almonda”, «criar, transformar as minhas músicas em coisas “palpáveis”».

A sonoridade de “Os Outros” encontra-se dentro do rock, sem que isso lhe prenda as fronteiras. À volta do projecto foram surgindo outras colaborações, na maioria através de músicos da região, que participam em alguns dos temas do disco de apresentação, o “EP” – (Extended Play). Assim surge a participação do “Coro Psicadélico das Berlengas”, que para além do nome “estapafúrdio”,sugere alguma rebeldia. Essa forma rebelde está presente em “Os Outros” nas letras das suas músicas, com muita crítica social.

O nome da banda, “Os Outros”, surgiu à falta de um nome melhor, e depois, «foi ficando, é uma coisa indefinida e de fácil memorização», constatou Luís Santos. O principal responsável pelo projecto é de Riachos, dá voz às letras e toca a guitarra. Nuno Pereira, outro riachense, toca baixo e “Kazoo” – um instrumento de sopro e também interpreta alguns temas. O torrejano David Gonzaga, toca bateria e dá também voz a alguns temas e o scalabitano Joel Simões é a outra guitarra do grupo.

Os Outros” tocam músicas que retratam de forma crítica a «realidade sócio-económica e política portuguesa», explicou Luís Santos, chamando ao EP de apresentação “Banda Sonora para curta-metragem sobre delinquentes lusos». Dizem ser uma banda apolítica, embora defendam «uma ideologia em prol de uma sociedade que achamos desejável, não em prol de um partido político». De Janeiro até Junho já realizaram sete concertos de apresentação do projecto em diferentes localidades do país, contando-se, claro, Torres Novas e Riachos.

 

Luís Miguel Lopes

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook