Home > Crónicas > Uma pena pesada

Uma pena pesada

Estou a chegar à meia idade e sinto que o mundo se vai transformando mais e mais num lugar estranho. Sou um inadaptado. O que será de mim quando chegar a septuagenário?! A realidade está-me a fugir ou sou eu que vou a fugir dela? Ainda ontem uma notícia na televisão, que afinal não é só futebol, deixou-me embasbacado. Duas ladras, por sinal estrangeiras, que praticavam o engenhoso mester de roubar carteiras nas viagens de eléctrico em Lisboa e já renitentes e contumazes no acto da roubalheira, foram condenadas a não poderem viajar de eléctrico. Que exagero de punição! Não sei bem como tal pena pode ser cumprida mas… que é pena pesada, lá isso é. A notícia acrescentava ainda que as duas jovens carteiristas não têm outro meio de subsistência. Então, proibindo-as de entrar no eléctrico, não se está a impedi-las de governar a vida? Penso estarmos perante um acto de cruel discriminação. Continuarei a reclamar e a dizer que cada vez percebo menos das coisas deste mundo. Deixem os carteiristas ser carteiristas e não os impeçam de entrar no seu lugar de trabalho! Quem não quer que lhe roubem
a carteira que a deixe em casa ou ande a pé sempre com uma mão a guardar o bolso. Alguém neste país impede os grandes ladrões de roubar? A vida está boa para os grandes e os pequenos que se lixem. Se aquelas duas ladras roubassem milhões se calhar eram condecoradas, mas como roubam umas carteiritas levam a pesadíssima punição de não poderem viajar de eléctrico. Chiça! Já viram a frustração que é, para o gatuno ou para a ladra, depois de um aturado trabalho de dedos que requer tanta concentração e habilidade e criatividade, chegar a casa e, por vezes, deparar apenas com uns miseráveis eurositos ou até (pode acontecer) com uma carteia vazia? Não! O mundo está a ficar esquisito. Não compreendo que se prendam ladrões, quando a culpa é daquele que se deixa roubar. Os ladrões também merecem ser felizes. O mundo sem ladrões será um lugar triste.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook