Home > Saúde > Ondas de calor – recomendações

Ondas de calor – recomendações

Por: Enf.ª Otília Raimundo

A onda de calor caracteriza-se por temperaturas elevadas (temperaturas máximas diárias superiores à média para o período de referência), durante vários dias consecutivos. Qualquer exposição a períodos de calor intenso, sem as devidas precauções, pode levar a desidratação e ao agravamento de doenças crónicas. Em situações mais graves pode conduzir a danos irreversíveis na saúde, ou inclusive levar à morte.

Quem são os mais vulneráveis ao calor, necessitando por essa razão, de maior atenção?

As crianças nos primeiros anos de vida; os idosos; os portadores de doenças crónicas (nomeadamente doenças cardiovasculares, respiratórias, renais, diabetes, alcoolismo); as pessoas com obesidade ou problemas de saúde mental; as pessoas acamadas; os trabalhadores expostos ao sol e/ou ao calor; as pessoas com más condições de habitação.

Quais as recomendações para a prevenção dos efeitos da exposição ao calor?
Deve aumentar a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, mesmo que não sinta sede; evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar. No caso dos recém-nascidos, crianças, pessoas idosas e pessoas doentes, podem não sentir, ou não manifestar sede, pelo que são particularmente vulneráveis – ofereça-lhes água e esteja atento e vigilante. As refeições devem ser leves e mais frequentes. São de evitar as refeições pesadas e muito condimentadas. Permaneça duas a três horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado, para evitar as consequências nefastas do calor, particularmente no caso de crianças, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas. Deve evitar a exposição direta ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas e, sempre que houver exposição solar, deve usar um protetor solar com um índice de proteção elevado (igual ou superior a 30) renovando a sua aplicação sempre que estiver exposto ao sol (de 2 em 2 horas), se estiver molhado ou se transpirou bastante. Se se expuser ao sol use óculos e chapéu, de preferência de abas largas e use roupa larga e leve, de preferência em algodão e com cores claras. Evite a permanência em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas. Se for viajar leve água suficiente ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar que possa beber durante a viagem. Sempre que possível, durante as vagas de calor, viaje de noite. Nunca deixar crianças, doentes, pessoas idosas ou animais dentro de veículos expostos ao sol. Nestes períodos evite atividades que exijam esforço físico e procure manter-se em locais à sombra, frescos e arejados. Use menos roupa na cama, sobretudo quando se tratar de bebés e de doentes acamados. Evite que o calor entre dentro das habitações correndo as persianas, ou portadas e mantendo o ar circulante dentro de casa. A abertura de janelas e portas durante a noite pode facilitar a diminuição da temperatura no interior das casas. O uso de ventoinhas pode ser uma forma de baixar um pouco a temperatura, ao fazer circular o ar. Informe-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas, frágeis ou  com dependência que vivam perto de si e ajude-as a protegerem-se do calor. Idosos e crianças com menos de 3 anos não devem ir à praia nos dias de grande calor – as radiações solares podem provocar queimaduras da pele, mesmo debaixo de um chapéu-de-sol; a água do mar e a areia da praia também refletem os raios solares e estar dentro de água não evita as queimaduras solares das zonas expostas. Proteja-se da exposição solar e procure locais frescos e arejados, ou com ar condicionado, no período de maior calor, em especial se estiver acompanhado por crianças pequenas, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas.

 

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook