Home > editorial > Cristo Ressuscitou! Aleluia! Ressuscitou verdadeiramente, Aleluia, Aleluia!

Cristo Ressuscitou! Aleluia! Ressuscitou verdadeiramente, Aleluia, Aleluia!

Em tempo de Páscoa brotam entre os espinhos, flores brancas de esperança! Rece- bemos vida e vida em abundância, tudo quanto nos é dado em Jesus Ressuscitado é absolutamente novo, a morte é vencida e a vida manifesta-se em plenitude. Uma renovação que se manifesta de forma mais plena e visível na esperança de ultrapassar os momentos de morte e escuridão que ofuscam a Humanidade, a Natureza e o Mundo.

E são tantos os dramas que espalham morte, angústia e dor, basta recordar algumas tragédias do presente, Moçambique e Irão, o Mediterrâneo, a guerra e a violência de toda a espécie, especialmente sobre os mais débeis, onde se incluem crianças, mulheres e idosos, as doenças, os acidentes que tantas vidas ceifam precocemente, até à perda inestimável da Catedral de Notre Dame. «Que sentido tem tudo is- to?» Não ficamos quase esmagados quando acontece qualquer coisa de verdadeiramente difícil na vida? Mas pela fé abrem-se portas à esperança pela união com Cristo: “Cristo Jesus, que era de condição divina, não Se valeu da sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a Si próprio. Assumindo a con- dição de servo, tornou-Se semelhante aos homens.”

(Fil 2,6-7) Quando nos sentimos cansados, desiludidos, tristes, não percamos a confiança, pois a certeza da fé mostra-nos que não há situações que Deus não possa mudar; Ele está e quer tornar-se especialmente presente onde há mais sofrimento, nos lugares das tragédias, nos hospitais, nas prisões, nas famílias feridas, pela solidão, pela doença, pelo luto, pela separação, pelo desemprego.  Há uma esperança que desperta, Cristo ressuscitou! P‘orque buscais entre os mortos Aquele que está vivo?‘ O Ressuscitado, mostra a luz que insiste em despertar cada manhã, um triunfo silencioso, escondido na terra, porque tem a marca humilde do amor, mas que acontece sob a luz da eternidade. Jesus não voltou à vida que tinha antes, à vida terrena, mas entrou na vida gloriosa de Deus e fê-lo com a nossa humanidade, abrindo-nos um futuro de esperança.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook