Home > Saúde > Alimentos & Consumo Alimentar

Alimentos & Consumo Alimentar

AS DATAS DE VALIDADE DOS ALIMENTOS E O DESPERDÍCIO ALIMENTAR (2.ª parte)

Por Carlos Fidalgo*

Dando continuidade ao meu último artigo, em que abordei a temática das validades indicadas nos alimentos, irei focar-me nesta edição, nos produtos sem validade, da aproximação do fim do prazo de validade, e ainda dar-vos-ei algumas orientações sobre a gestão dos produtos e seus prazos de validade.

Existem produtos, em que a colocação de uma data de validade não é obrigatória. É o caso do sal, do açúcar ou do vinagre, pois são considerados conservantes naturais. Contudo, deverão sempre, ser respeitadas as condições de conservação indicadas nas suas rotulagens.

Podendo existir casos específicos, a indicação de validade escrita não é obrigatória nos produtos disponibilizados diretamente aos consumidores nos pontos de venda/lojas.

Neste caso, falo-vos dos produtos cortados/manipulados em loja e vendidos ao balcão (charcutaria fatiada; carne fresca; peixe fresco; produtos de padaria e pastelaria), e produtos vendidos a granel.

Convém alertar que, embora não tenham indicação escrita, estes produtos devem ser consumidos no próprio dia ou o mais rapidamente possível.

Por outro lado, já todos verificámos, nas nossas idas às compras, a existência de produtos em que lhes foi colocada uma etiqueta com a indicação «Aproximação do fim do prazo de validade».

Estes produtos podem ser encontrados em expositor próprio ou linear onde são, por norma, comercializados. A sinalização destes, produtos com etiqueta específica, permite que sejam mais facilmente reconhecidos pelos consumidores, contribuindo assim para a prevenção do desperdício alimentar.

Para finalizar esta abordagem, deixo-vos algumas dicas, recomendações e sugestões.

Torna-se fundamental organizar a sua dispensa e o seu frigorífico, verificando regularmente as datas de validade, e planear o seu consumo de acordo com os respetivos prazos de validade.

Por outro lado, no que respeita às condições de conservação dos alimentos, as temperaturas de conservação indicadas nas rotulagens deverão ser rigorosamente cumpridas, e os produtos frescos, deverão sempre ser conservados no frigorífico.

Cada vez mais utilizadas, a indicação dos dias de validade dos produtos, e as condições da sua conservação, após a abertura das embalagens, também devem ser tidas em conta pelos consumidores.

É recomendada também, a congelação de alguns produtos. A carne e o peixe frescos, que não são consumidos no próprio dia da compra, deverão ser congelados em porções pequenas, e preferencialmente achatadas para facilitar o processo congelação e posteriormente o processo de descongelação.

Para estender a vida útil dos alimentos além da data de validade indicada, recomenda-se a congelação destes antes do término desta data.

Chamo também a vossa atenção para o facto de que a descongelação dos alimentos, a ser efetuada em casa, deverá ser realizada no frigorífico, sendo que estes produtos devem ser consumidos em 24 horas, e não voltarem a ser congelados.

O objetivo é garantir a segurança alimentar, associando-a à redução do desperdício alimentar.

 

*Formado em Engenharia Agro-Industrial com Pós-graduação em Ciências do Consumo Alimentar

E-mail: alimentos.consumo.alimentar@gmail.com

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *