Home > Crónicas > Chegou Abril

Chegou Abril

Chegou o mês de Abril, chegou o tempo em que temos dias mais longos, mais agradáveis e os campos se alegram cobertos de variegadas cores. Chegou Abril o mês que, noutros tempos, já foi de águas mil mas, como vão as coisas, tão alteradas e tão mudadas, parece que já não temos a chuva continuada e forte de outrora e as reservas de água cada vez mais vazias.

Chegou Abril, celebrado por tantos e cantado por poetas como o mês da liberdade. Valor que permite ao homem ser o que é e tornar-se no que deve ser. A liberdade é poder de escolha com responsabilidade e com ética; não é andar à deriva, sem pontos de referência e sem rumo.

Nestes tempos em que se abrem ao homem tantas possibilidades e se oferecem inesperados caminhos trazidos pela ciência e pela tecnologia e em que o individuo se afirma como valor absoluto, parece que nunca fomos tão livres e tão senhores de infindas escolhas.

Mas não estaremos a ser vitimas de uma ilusão quando nos esquecemos do essencial para nos acolhermos à superfície das coisas, indo à tona do real, esquecendo-nos de procurar o sentido profundo das coisas? Vivemos num mundo de liberdade onde nos é permitido escolher sem limites os nossos caminhos; temos ao nosso alcance coisas e bens em tal abundância como nunca tivemos, mas não estaremos perante o que chamaríamos o vazio da abundância?

Chegou Abril, o mês de tantas promessas por cumprir…mas que será sempre, no dizer de Sophia, o tempo e o lugar “Onde emergimos da noite e do silêncio”.

                                                                              

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *