Home > Crónicas > Jacintos de água

Jacintos de água

Francamente, não sabíamos o que dizer neste começo chocho de março. Após uns momentos de hesitação, resolvemos falar dos jacintos de água. Desde há muito anos que gostamos das suas flores. Têm um caule robusto que se fixa no leito de canais, lagoas e lagos de muitas regiões do mundo. Gostamos de as ver à superfície, com grandes pétalas brancas dispostas em torno de um centro cor de gema de ovo. Vão abrindo à medida que a manhã avança e vão fechando, ao cair da tarde, com o baixar do sol no horizonte.

 Dizem os peritos que a propagação da folhagem se deve à necessidade da planta acumular energia para florescer. As folhas achatadas, que podem atingir a dimensão de um prato de mesa, são lindas, de cor verde-cintilante e, por vezes, com tons avermelhados nas pontas.

 Nos primeiros anos de aprendizagem da língua inglesa lemos algumas obras de Beatrix Potter, célebre autora de livros para crianças. Sempre atenta aos factos da natureza aquática, apoiou-se nas suas observações no Lake District para escrever “O conto de Jeremy Fisher”, uma rã que constrói com folhas de jacinto um pequeno bote para apanhar peixe destinado a uma patuscada de amigos.

 Introduzidos em Portugal como planta ornamental, os jacintos são atualmente considerados uma praga que ameaça muitos ecossistemas da Península Ibérica, sobretudo na região de Aveiro e igualmente em longos trechos do Guadiana.

 Durante séculos, foi uma espécie utilizada nas medicinas tradicionais da China e da Índia. Com efeito, ainda hoje dela se extraem óleos e destilados para aplicação em diversos tratamentos para manchas da pele e queimaduras solares. Até mesmo…para reduzir a calvície.

 Não sabemos se Claude Monet, o pintor de Givenchy, se inspirou nos jacintos que proliferam nas águas do Sudeste Asiático. Pensámos nele quando tivemos o prazer de admirar bonitos canais e lagoas cobertos com as suas folhas e flores no Laos e no Camboja.

 

Possível conclusão: nem tudo o que luz é ouro.

 

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *