Home > Crónicas > As vítimas da mentira

As vítimas da mentira

Recentemente a SIC fez uma reportagem acerca das conversas virtuais, em que um homem travou conhecimento virtual com uma mulher. Nunca se conheceram pessoalmente porque ela alegou ter cancro e disselhe que se encontrava em tratamentos em Espanha. O homem acreditou, chorou quando a fulana mentiu de novo fazendo-se passar pela mãe, alegando que a filha tinha morrido. Tudo se desenrolou numa teia envolvendo mais pessoas que também foram enganadas, gozadas e traídas.

Que motivo tão baixo e cruel levou esta mulher a cometer este crime, que nunca foi punido e resolvido como deveria ter sido. Não é um pedido de desculpas e uma indemnização que vai salvar o que as pessoas passaram. Por outro lado, os enganados também deviam estar mais atentos, tentar fazer uma pesquisa sobre alguns factos. Infelizmente a mulher soube atingi- -los quando disse que tinha cancro de mama.

A pena que ela deveria apanhar era de trabalhar em regime de voluntariado num hospital oncológico para saber e sentir psicologicamente o que os doentes oncológicos passam. Isso sim seria fazer justiça.
Porque será que estas pessoas tomam estas atitudes tão mesquinhas? É para terem compaixão delas? É para lhes darem dinheiro, nunca sabendo ao certo onde irá ser gasto? Revolta-me esta falta de respeito pelas pessoas com cancro e quando me deparo no meu dia a dia com situações semelhantes fico sem pinga de sangue. Vou contar-vos um episódio a que assisti há uns tempos. Fui a um local e deparei-me com uma senhora jovem a vender artesanato. Perguntei-lhe se pertencia a alguma instituição.

Disse-me que não. Alegou que o dinheiro das vendas era para as deslocações que ia fazer ao hospital em Lisboa. Disse-me que tinha cancro. Achei estranho e disse que através do médico de família poderia tentar ir de ambulância. Soube depois que afinal não tinha cancro nenhum, o que é muito bom. No entanto acho muito mal usar esta maldita doença para atingir o coração das pessoas. Não deveria dar prognósticos antes de saber os resultados. Por isso não ajudo esse tipo de pedintes. Se ela tivesse fome eu davalhe um prato de sopa, agora dinheiro não. Estejam atentos e não se deixem levar por estes mentirosos compulsivos.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *