Home > Teresa Tapadas > Mau mau

Mau mau

Ainda há um instantinho me le- vantei, apenas tomei o pequeno- -almoço e arranjei o da minha mãe, pus a máquina da roupa a lavar, vesti uma roupa para andar por casa e já passou uma hora?! Uma hora?

Estou cá com a impressão que as horas deste novo ano de 2019 têm uns quantos minutos a menos… o que fará com que os dias tenham umas quantas horas a menos! Agora, agora.

Se o “tempo” já não me chegava, agora é que vão ser elas. E vem-me à memória uma lenga-lenga daquelas que se aprende na juventude e já não se esquecem e que por sinal vinha escrita na “Minha Agenda”. Lembram-se o que era???!!!!

“O tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto o tempo o tempo tem!”

E sorrio ao lembrar-me de quantas brincadeiras fizemos na escola
sendo o mote esta mesma lenga-lenga… O tempo passou e pela voz de
D. Argentina Santos aprendi uma outra quadra da autoria de João de Freitas, em que também o “tempo” é a figura principal.

“Meu Deus como o tempo passa Dizemos de quando em quando Afinal o tempo fica A gente é que vai passando”
E por falar em ir passando… agora vou montar o estaminé na salinha e pôr-me a passar a ferro! Se há tarefa doméstica que gosto mesmo de fazer é passar a ferro. Como tal… vamos a isso que o monte já vai alto! Beijinhos beijinhos e que nunca nos esqueçamos que a nossa maior fortuna é o TEMPO. A cada novo dia de vida que nos é concedido temos 1.500 minutos novinhos em folha e prontos a serem vividos! Saibamos escolher a forma mais FELIZ E SALUTAR de os usar. Não os desperdicemos pois TUDO ISTO EXISTE.
CULTURA

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook