Home > Ana Madureira > Um novo ano

Um novo ano

Chegou um novo ano. Nos últimos anos, decidi sair de comemorações exacerbadas e tenho preferido refugiar-me nos meus locais de eleição. Alguns são no exterior. Mas outros são na minha casa. Aquela que me acolhe todo o ano, aquela onde tenho a minha família e os meus animais de estimação. Onde moram aqueles que realmente não me falham e me querem bem. Este tem sido o meu local de eleição para refletir sobre o que tenho feito e para projetar o meu futuro. É na minha casa que estou, agora, a escrever o meu último artigo de 2018 para o nosso Almonda. O ano de 2018 foi um ano de revelações. A maior de todas tem sido a capacidade que o ser humano tem de se reinventar, inovar e superar a si próprio. Revelou-se essa verdade em mim. E em tantas pessoas que tenho acompanhado e que têm depositado em mim tamanha confiança. O ser humano é incrível. E quanto maior é a forma minimalista de viver e de estar da pessoa, mais ela se despoja do que não interessa e mais brilha em todo o seu esplendor. Muitas foram as vezes, ao longo do ano, em que ouvi expressões como “as pessoas são todas iguais”, “as pessoas não prestam”, ou até mesmo “perdi a fé na humanidade”. Em todas as minhas intervenções, sejam em empresas ou a particulares, tento demonstrar que não vale a pena pensarmos de forma tão derrotista e pessimista. Nada de perder fé na humanidade! Vamos, sim, acreditar mais. Vamos acreditar mais uns nos outros. Vamos acreditar mais no lado bom das pessoas. Por aí, sim, as pessoas são todas iguais: todos nós temos um lado bom e cada um de nós tem a sua forma de o praticar e demonstrar. Vamos construir um ano com mais lados bons, mais tolerância e ajudar-nos mais. Porque a humanidade é um mosaico incrível em que cada um de nós ocupa um papel muito importante. E o que fazemos semeia-se, espalha-se e prospera. A um 2019 cheio de bondade! A todos nós.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook