2018 terá sido um ano que a indústria tecnológica deseje esquecer, pois foram levantadas diversas questões sensíveis e complicadas de resolver. E que permanecerão em 2019. Foi um ano em que percebemos o pouco que podemos confiar por exemplo no Facebook, e também o quanto ficámos mais viciados nos nossos ecrãs. Um ano em que o ódio e a desinformação online se tornarão uma inevitabilidade que gigantes como a Google, Amazon ou Microsoft terão que lidar, e que viram também os seus próprios trabalhadores revoltarem-se por questões éticas. Um ano em que a Apple se tornou a primeira empresa a valer um trilião de dólares – mas que de seguida perdeu um quarto desse valor quando nos mostrámos quase indiferentes aos seus novos iPhones. Por esta altura do ano, encontram-se diversos artigos sobre previsões tecnológicas para 2019, e não pude encontrar em muitos deles qualquer resolução para as importantes questões levantadas em 2018. Novas tecnologias como as redes 5G, transportes alternativos e a inteligência artificial prometem mudar as nossas vidas, mas mesmo estas trazem algumas advertências. Continuo, no entanto, otimista quanto ao papel da tecnologia na melhoria das nossas vidas. Prefiro ver o copo meio cheio e acho que 2019 pode ser um ano de oportunidade para o mundo tecnológico fazer as coisas certas. Deixo assim alguns tópicos que considerei pertinentes nesta área e que vamos poder observar em 2019:

A Tesla sobrevive mas passa a ter competição a sério

Quer gostemos do personagem ou não, Elon Musk é o novo Steve Jobs. Através do seu foco no produto a verdade é que a Tesla sobreviveu à produção em massa do seu elétrico Model 3 em 2018 e até obteve algum lucro. Mas vai ser posta à prova no que toca à condução autónoma, tópico tão falado por Musk nos últimos anos. E muito brevemente irá ter competidores muito sérios no segmento elétrico, o que significa que terá rapidamente que conseguir colocar à venda um mode

A Apple continuará a levar o nosso dinheiro

Com os consumidores cada vez mais a esperarem mais tempo para fazer um upgrade aos seus iPhones, a Apple já não está interessada apenas em vender hardware. Também se quer tornar uma empresa de serviços. Atualmente já tem ofertas em subscrição como sejam o Apple music, o iCloud para armazenamento, ou o AppleCare+ para reparações. Podemos esperar de seguida as subscrições para notícias e vídeo. Scooters elétricas fracassam Conduzir uma scooter elétrica pela cidade é divertido (no início). Mas como algumas grandes cidades infelizmente puderam aprender, são também alvos fáceis para o vandalismo, por vezes incómodas nos passeios e um risco de ferimentos. Pensa-se que o conceito de alugar uma scooter elétrica via uma aplicação, seja uma das ideias inovadoras de transporte mais propícias a fracassar, basicamente porque a grande maioria das pessoas não se sente confortável ao usá-las. tinuará a levar o nosso dinheiro.

Surgem as redes móveis 5G mas sem grande impacto

Após alguns anos de expectativa, a próxima geração de redes 5G chegará a algumas cidades europeias, com a promessa de arrasar as velocidades mais rápidas de internet, seja para telemóveis, carros, consolas ou todo o tipo de dispositivos conectados. Mas muito provavelmente não vai mudar as nossas vidas já em 2019, porque estas redes iniciais estarão limitadas a determinadas zonas e não ainda a cidades inteiras. Levará ainda alguns anos até que o 5G se torne tão comum como as redes 4G LTE que utilizamos hoje.

Samsung estreia um telemóvel dobrável

Após vários anos de alguma monotonia, o design dos smartphones estará prestes a ficar interessante de novo. A Samsung planeia lançar em 2019 um telemóvel que se dobra como um livro de forma a mostrar o seu ecrã de 7,3 polegadas. A ideia da marca será dar-nos acesso simultaneamente a um telemóvel bem grande para trabalhar e ver vídeo, e a um telemóvel de tamanho de bolso. Mas é melhor começar a poupar, pois é esperado que com todo este novo hardware, este modelo Samsung apareça por mais de 1500€.

 

 

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *