Home > Teresa Tapadas > Segundo….

Segundo….

Segundo o meu relógio (aquele que não uso por falta de hábito, mas que o telemóvel faz as vezes!) me diz, são 9 e pouco da manhã e o meu dia já leva umas horas. E que bom que é, começar assim o dia! Eu sempre disse e cada vez estou mais certa do que sempre disse e continuo a dizer … quem tem amigos tem tudo! O mote – uma boleia. Tomamos um chá bem quentinho que o dia está frio, dois dedos de conversa e às despedidas morremos de riso com uma peripécia de trabalho contada já quase às pressas (um segundo…) que o comboio não espera e a vida ainda menos. Destino final de hoje… a cidade mulher da minha vida, Lisboa. Hum, está quentinho no comboio e sabe tão bem. Já para não falar deste treme treme que me começa a embalar ao ponto de provocar um bocejo. Viver perto da Linha do Norte tem destes privilégios. Na bagagem para além da mala que seguirá no dia seguinte comigo até Angra do Heroísmo, Terceira-Açores, um sem fim de
papelada e uma agenda preenchida com mil e um afazeres para aquele dia e curiosamente sem cantigas ao fado. Também há dias assim! Olha o sol! Precisamos de sol na nossa vida na mesma proporção que precisamos de resiliência. A cada novo dia, temos de renovar a nossa capacidade em lidar com os problemas (novos e antigos), em nos adaptar a mudanças, superar obstáculos ou até mesmo resistir à pressão de situações adversas, tal como o stress. Saibamos fazer uma gestão equilibrada destes e mais uns quantos elementos e parte dos problemas serão soluções e a nossa carga diminuirá substancialmente ao contrário da nossa alegria de estar viva e viver. Até porque… NADA SE PERDE. TUDO SE TRANSFORMA e mais não digo pois TUDO ISTO EXISTE, TUDO ISTO É TRISTE (bebe um copo de Sol, um copo de Sol on the rocks ), TUDO ISTO SÃO COISAS e CENAS & CENAS e COISAS.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *