Home > Ana Madureira > Antes fazer, do que não fazer

Antes fazer, do que não fazer

Num destes dias, em conversa com um amigo meu a propósito da escolha da melhor aplicação móvel para um fim específico, e depois de lhe perguntar qual seria a melhor (de um leque de mais de dez), ele respondeu que as verificasse, que selecionasse a que me pareceria a melhor e que se não gostasse dela, que a desinstalasse e instalasse outra. E rematou: “Done is better than perfect. Se serve para o Facebook, também serve para ti”. Tão simples assim. Em dois segundos, desvendou aquele que sempre foi um dos bloqueios ao avançar de alguns projetos na minha vida. Costumo ter ideias das mais simples coisas e animo-me quando alguém embarca nelas comigo. Mas ao longo dos anos houve muitos projetos que ficaram na gaveta, pois na hora de avançar eu achava sempre que as coisas não sairiam com qualidade suficiente.
Penso que não serei só eu a sofrer deste mal. Mas o ano de 2017 foi uma viragem para mim. Nestas andanças de criar o meu próprio projeto e de me assumir como empreendedora sem medos, decidi fazer mudar o meu mindset. A cada ideia que tinha, passei a tratar rapidamente das coisas. De início, ainda me interrogava: “E se corre mal?”, mas passei a responder a mim mesma “Dou o meu melhor e o meu melhor será sempre o meu perfeito”. Foi isto que fiz. E tenho aprendido que, como afirma Sheryl Sandberg, chefe operacional do facebook, de facto, “Done is better than perfect”. Hoje, olho para trás e vejo tantas coisas que não fiz com medo de que não saíssem perfeitas! Com medo das críticas. Hoje, não tenho medo. Dou o meu melhor em tudo o que faço. E isso, para mim, já é perfeito.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *