Home > Sociedade > No Dia da Mãe: “Melhores mães, amigas, companheiras”

No Dia da Mãe: “Melhores mães, amigas, companheiras”

 

Rute Silva e Miguel Correia são um jovem casal torrejano. Ela é Engenheira do Ambiente na autarquia de Torres Novas, ele trabalha como auditor. A Rute e o Miguel encontram-se a aguardar ansiosamente o nascimento do seu primeiro filho, uma menina que conta já 29 semanas de gestação. Uma gravidez planeada, desejada, mas que surge no momento em que as condições mais se aproximam de um passo seguro. Um passo cada vez mais difícil entre jovens casais, que nem sempre podem dar largas ao desejo de uma maternidade e paternidade precoce. Decorrido mais um Dia da Mãe, e num tempo em que o valor da vida atinge estranhos patamares de relatividade, “O Almonda” volta a dar espaço ao milagre da vida e a quem o recebe como verdadeira bênção. Aqui fica o testemunho da futura mamã Rute. 

 

Alm – Que grandes desafios esperas encontrar nesta nova fase da tua vida?
 
RS – Estar grávida é um período tão privilegiado da vida de uma mulher, que facilmente se torna na melhor alegria de uma família. As emoções são vividas de uma forma tão intensa que se revestem de momentos únicos, tornando estes 9 meses numa das experiências mais enriquecedoras que se podem sentir. No entanto, ser mãe nos dias de hoje é um projecto tão complexo e ao mesmo tempo tão maravilhoso, que embora esta função esteja recheada de momentos preciosos, por vezes surgem dúvidas que nos questionam sobre a forma como iremos viver os nossos dias e realizar as nossas tarefas.

 Por isso e nesta fase em que o corpo está sujeito a um turbilhão de sensações e a transformações quer a nível físico quer psicológico, preocupamo-nos em aproveitar ao máximo todos os sinais que a nossa bebé já nos “obriga” a adivinhar e a reflectir na grande responsabilidade que é ser mãe. 

 

Alm – Algum tipo de receio? 

RS – Esperar por um bebé, suscita momentos mágicos mas também muitas interrogações. O novo ser que “vem a caminho” será uma presença marcante na nossa vida, que necessitará de constante atenção e que nos obrigará a estar atentos às suas necessidades sempre em primeiro lugar. Colocam-se muitas questões sobre qual a melhor maneira de preparar a sua chegada, mas penso que o maior receio será o de saber como poderei oferecer o melhor de mim mesma em todos os momentos.

 

CLC

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook