Home > Saúde > ACUPUNTURA – CVIII

ACUPUNTURA – CVIII

Ai… Ai… O Stress

Por: Vitor Sepodes

Há casos clínicos que realmente servem de estudo e em Medicina Chinesa fazem a diferença. No dia 21 de agosto a Regina, professora, veio à consulta com muitas dores que principalmente irradiavam da coluna dorsal/lombar (D6 a L2), dando a volta ao tronco, por baixo do peito até ao externo. Ao ponto de vir curvada, com voz muito fraca e alguma tosse. Depois de consultar várias especialidades que lhe receitaram relaxantes musculares e analgésicos sem efeito, veio à consulta de acupuntura.
Dentro do questionário que preparamos é de todo importante perceber o dia a dia dos pacientes. O que a Regina me contou foi que o ano letivo foi muito stressante, com muitas responsabilidades e que não estava a aguentar a pressão. Note-se que veio em finais de agosto ou seja período pós férias e que devia estar operacional para encarar o novo ano letivo. O que a seguir ia acontecer a esta professora era eventualmente um esgotamento. Ainda bem que recorreu a esta MEDICINA. Depois de perceber o nível de fraqueza intelectual, tristeza, dor, preocupação, desânimo, quis sentir toda a zona de desconforto e realmente era impressionante o trajeto da dor que irradiava à volta do corpo. A vantagem da acupuntura nestas situações é que ao mesmo tempo que tratamos a dor (sintoma) podemos tratar a causa (Stress). Toda a pressão que o ano letivo anterior provocou com responsabilidades sucessivas, foi atuando lentamente no psíquico, desgastando-o enfraquecendo cada vez mais o seu organismo ao ponto de bloquear a relação mente/nervos ou seja o stress bloqueou o sistema nervoso causando desconforto, dor e o resto vem por acréscimo sendo uma bola de neve que termina com o esgotamento. Assim, ao mesmo tempo que fui tratando a dor através de eletroestimulação e massagem, relaxando e descontraindo toda a zona de desconforto, tratei o sistema nervoso e reforcei com fitoterapia que tomou em doses fortes para que começasse a surgir melhor efeito. É evidente que também é necessário o paciente aprender a equilibrar o seu dia a dia com atividades que gosta, praia, pintura, leitura, bricolage, escrita, etc., porque se só trabalha e não compensa com outras atividades voltará ao mesmo e a Prof. Regina prometeu-me que ía mudar… No 5º tratamento, dia 5 de setembro disse-me “muito obrigada pelo que me fez, sinto-me muito melhor e acho que vou conseguir encarar este ano letivo doutra maneira”. Existem profissões em que esta linha de pensamento e atuação tem de fazer parte integrante do dia a dia e não permitir que o stress tome conta de si e o (a) domine, os resultados podem ser catastróficos.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *