Home > Crónicas > Posso pagar por duas vezes?

Posso pagar por duas vezes?

Antigamente a terra era semeada, nasciam os produtos e consumiam-se. Tudo vinha da terra. O comércio dividia-se entre o mercado semanal, as mercearias, o talho e a padaria. O vendedor confiava no comprador e apontava as pequenas dívidas nos cadernos que eram pagos mensalmente. Com evoluir dos tempos vieram as grandes superfícies comerciais onde se faz o pronto pagamento. Se faltar um cêntimo temos que trocar uma nota pois no final do dia essa moedinha minúscula estará em falta. Felizmente a lojinha onde agora pode encontrar produtos de várias áreas continuam quer nas aldeias, vilas e cidades. É o chamado comércio local que engloba também o vestuário, calçado, decoração para a casa, entre outros. É difícil concorrer contra o comércio de marcas, contra o aglomerado de negócios da China e contra os devedores. Os caloteiros.

Falemos dessa sociedade mesquinha e arrogante que vive de aparências. Têm o descaramento de “comprarem” roupa e depois ficam a dever. Entram com falinhas mansas, espetam um beijinho de “tias”
enxofradas de pechisbeques enfeitadas à dona da loja e depois fica registado a soma no velho caderno. Dizem que passam por lá em breve. Só que esse breve prolonga-se por dias, meses e anos sem data marcada. E quando acontece em meios pequenos como a nossa cidade a desavergonha ainda é pior. Não têm o mínimo respeito pela pessoa que está do outro lado do balcão nem por elas próprias. É de bradar aos céus atitudes destas. Se não têm dinheiro não comprem. As dívidas não param. Acumulam-se. O vendedor não deve e nem pode admitir este tipo de coisas. Tem de se impor e com a nossa língua portuguesa pudemos falar chamando a atenção de uma maneira mais suDeveriam era de colocar nas suas montras uma lista com os nomes dos caloteiros. Isso sim seria uma boa ideia. Podem crer que os narizes espetados das” tias” ficavam logo torcidos. Por isso meus caros caloteiros e caloteira é melhor começarem a juntar uns trocos todas as semanas numa lata e terem a lata de pagar o que devem a quem devem.ave.

 

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *