Home > Teresa Tapadas > Perguntas

Perguntas

O dia hoje amanheceu tristonho. Bem… Tristonho talvez não seja o melhor adjetivo. Tristonha acordei eu! O dia acordou fosco e marralheiro. E vão-se lá saber os porquês… tanto de uma, como de outra situação. Dizem para aí e olhem que eu não sou de intrigas, que quem manda nisto do tempo é o São Pedro! E agora só aqui baixinho e entre nós… se o dito São Pedro não se põe fino um dia destes ainda correm com ele! Anda já tudo a ficar “enfadado” com este tempo. Ai anda anda. Quem me dera que também houvesse assim um “São Pedro” para eu poder culpabilizar quando acordo assim! Era tão mais fácil. E se acordar assim já não é simpático, com o passar das horas e consoante o dia vai avançando, o estado tende a piorar. A paciência tende a diminuir atingindo níveis mínimos quase alarmantes, adiciona-se uma dose generosa de rabugice, as perguntas multiplicam-se de forma natural e quase que em catadupa enquanto que as respostas são cada vez menos. Et voilà! Eis-me. Eis-me?! Era só o que mais faltava. Em estado normal já não sou fácil de aturar quanto mais assim. Vamos lá. Inspira pelo nariz e expira pela boca. Desfruta da companhia maravilhosa da família e… vamos lá começar a preparar tudo para ir cantar pois TUDO ISTO EXISTE, TUDO ISTO É TRISTE (até posso estar triste mas não sou triste) TUDO ISTO SÃO COISAS e CENAS & CENAS e COISAS.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *