Home > Saúde > A hipertensão arterial

A hipertensão arterial

Por: Dr. Miguel Ramos

A hipertensão arterial (HTA) é um problema muito prevalente em Portugal. Um estudo Português efetuado em 2015 estima que cerca de 36% da população portuguesa entre os 25 e os 74 anos sofra desta condição. Para além disso, como foi noticiado recentemente, é um dos principais problemas de saúde do Médio Tejo. E o que é a HTA? As nossas artérias são os vasos que levam o sangue oxigenado vindo do coração a todas as partes do nosso corpo. Podemos comparar as nossas artérias a condutas, como por exemplo as que transportam a água para as nossas casas, e quando essas condutas são expostas a uma pressão acima da que normalmente estão preparadas começam a ficar danificadas. Ao longo do tempo com a acumulação de pequenos danos nas artérias, isto pode levar a problemas graves como por exemplo, enfartes do miocárdio, AVC, problemas renais e problemas oftalmológicos. Os valores de pressão arterial ideais consideram-se <140 mmHg de sistólica (dita alta) e <90 mmHg de diastólica (dita baixa). É normal que em certas situações exista uma variação dos valores, por exemplo quando a pessoa está doente, com dor, ou esteja a passar por alguma situação emocionalmente stressante. Considera-se hipertensão de facto quando os valores estão persistentemente acima dos valores ideais. Como medir a pressão arterial? A medição deve ser feita num ambiente calmo, com a pessoa sentada e relaxada pelo menos durante 5 minutos, sem ter fumado nem ingerido bebidas estimulantes (café por ex.) na hora anterior. Deve ter o braço desnudado e deve ser usada uma braçadeira de tamanho adequada à pessoa. Quais os sintomas? Uma das preocupações da hipertensão arterial relaciona-se com o facto de ser, na maioria das vezes, um problema silencioso, ou seja, uma pessoa pode ser hipertensa durante anos sem que exista qualquer sintoma. Daí a importância da medição da pressão arterial. Nalguns casos, principalmente quando a pressão arterial atinge valores muito elevados (p. ex. 200/110) podem ocorrer sintomas como cefaleias (dores de cabeça), dor no peito, tonturas, cansaço fácil ou sensação de visão turva, devendo nestes casos procurar ajuda Médica de imediato. Estou preocupado, acho que posso ter HTA, o que posso fazer? Em primeiro lugar deve agendar uma consulta com o seu Médico de Família para falar do problema. Na USF Cardilium existe uma consulta dedicada à hipertensão onde fazemos a avaliação da pressão arterial, discutimos as opções de tratamento que podem ser tomadas e aconselhamos alterações no estilo de vida que podem ajudar no controlo da pressão arterial.
E essas alterações no estilo de vida posso ou devo fazer se não tenho hipertensão? Sim, os hábitos de vida saudáveis, como por exemplo: não fumar, procurar reduzir o consumo de bebidas alcoólicas e cafeína, atingir o peso ideal, cuidar da dieta tendo uma alimentação rica em fruta e vegetais e pobre em gorduras. Estes hábitos devem ser sempre adotados antes de existir um problema! É uma maneira de prevenirmos o aparecimento da doença. No caso da hipertensão arterial é especialmente importante manter uma atividade física regular e ter em atenção o consumo de sal na alimentação. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o consumo de 5g de sal por dia para um adulto (1 colher de chá rasa), e estima-se que em Portugal o consumo de sal médio por pessoa seja o dobro do recomendado (10.7g). Existem várias estratégias para diminuir o consumo de sal, por exemplo o uso de ervas aromáticas para temperar a comida em substituição do sal e ler os rótulos nas embalagens escolhendo os alimentos com menos teor de sal. Sou hipertenso, e agora? Tendo o diagnóstico de hipertensão é muito importante que mantenha o acompanhamento regular com o seu Médico de Família nas consultas de vigilância, cumprindo o tratamento prescrito. Não deve tomar outra medicação por livre iniciativa, pois isto pode alterar os valores na pressão arterial e dificultar a gestão da medicação por parte do Médico. Porque, fazendo uso da sabedoria popular: Prevenir é sempre o melhor remédio!

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *