Home > Saúde > Não tenha uma ressaca de sono

Não tenha uma ressaca de sono

Por: Fábio Carvalho

Esta semana o nosso país atravessou uma onda de calor que nos levou a todos ao desespero. O país esteve uma brasa e por Torres Novas os termómetros chegaram mesmo aos 46/47 graus, um calor insuportável. De dia não se estava bem de maneira nenhuma, nem em lado algum. E de noite as coisas também não eram famosas. Para mim que já não é fácil adormecer, fazê-lo com este calor, numa casa que também não é nada fresca, foi mesmo muito difícil. Principalmente quando se tem de se levantar muito cedo para ir trabalhar. Os efeitos das altas temperaturas no nosso corpo humano tem sido alvo de estudo durante muitos anos. Para podermos ter uma noite mais tranquila é muito importante que o clima esteja favorável. Segundo um artigo publicado na revista brasileira Galileu, investigadores chegaram à conclusão que uma noite de sono muito quente pode fazer com que acordemos no dia seguinte com uma sensação de ressaca. Os sintomas podem incluir retenção de líquidos, pele inchada, dores de cabeça, falta de concentração, de memória e aumento na pressão sanguínea. Segundo, Christoper Gordon, um investigador dos hábitos do sono, para podermos dormir melhor é preciso haver uma queda considerável da temperatura do nosso corpo. O cientista refere que o ideal é que esteja aproximadamente 18º graus, temperatura necessária para que o corpo perca a quantidade de calor que acumulou durante o dia. Segundo a ONG, National Sleep Foundation, a temperatura do corpo tende a flutuar durante o dia, mas atinge o ponto mais baixo pelas cinco horas da manhã. Depois de chegar “ao fundo do poço”, o calor corporal começa a crescer novamente, conforme a manhã se aproxima. Esta queda da temperatura pode prejudicar se houver muito calor, causando interferência no nosso sono. Segundo um outro estudo, um grupo de voluntários dormiu em quartos perfeitamente climatizados durante um mês. O estudo concluiu que pessoas saudáveis que passaram trinta dias a dormir numa temperatura média de 18º graus, tiveram um aumento em suas reservas de tecido adiposo marrom. O nome pode não soar muito bem, mas ele é responsável por ajudar o corpo a queimar calorias e a gastar o excesso de açúcar no sangue. Mas como podemos nós, tentar contrariar o calor, ter uma boa noite de sono e não acordar de ressaca pela manhã. Para além das máquinas de produção de vento (ouvi esta definição esta semana e achei delicioso), ou seja, as ventoinhas, que podem sempre ajudar, há também outras maneiras. Para começar não durma de luzes acesas. Um banho de água fria antes de dormir deixa-nos mais fresquinhos até o sono chegar. Se estiver espaço na cama, espalhe-se ao comprido. Durma nu pois isso não retém calor no corpo, já que as roupas são responsáveis por isso. E, segundo alguns estudos dormir como veio ao mundo pode ajudar a melhorar o humor e até ter menos barriga. Durma com os pés de fora, dessa forma deixa o calor corporal escapar pelos pés. Use também roupas de cama com tecidos mais leves como algodão, ou por exemplo um colchão de bambu. Usar esteiras de bambu sobre o colchão mantém uma temperatura menor que a do seu corpo em contacto com a cama, já que esse material absorve o calor. Molhe os lençóis, e durma como um faraó. Não. Não vai ficar uma múmia. No calor do deserto, os egípcios tinham o hábito de se cobrir com lençóis húmidos. Podem fazer isso com a ajuda de um borrifador com água, ou, tirar o lençol da máquina de lavar depois de executada a função centrifugar, ele estará levemente molhado. Para que o funcionamento do organismo aconteça de maneira eficiente, inclusive durante o sono, é importante que estejamos hidratados. Beba sempre muita água ao longo do dia. Uma boa noite de sono para todos.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *