Home > Teresa Tapadas > Programação Neurolinguística

Programação Neurolinguística

Ora aqui está um belo exemplo de um daqueles chavões que são pomposos na forma como se escrevem e mais ainda como se leem e até dá vontade – e para alguns até é apanágio serem utilizados, mesmo sem se saber muito bem o que querem dizer… Muito prazer, Teresa Tapadas. Isto é o que me apetece de imediato responder caso esteja bem disposta e num ambiente com alguma leveza de espírito mas, se estiver com a Neura, a Linguística será outra certamente. Mas calma que eu não sou do Norte… com todo o respeito! Nos tempos que correm (e em tempos passados também) a maioria de nós tem a noção que o mais importante da vida se aprende na escola. De setembro a junho. Deixem-me que em tom de desabafo vos diga, que cada vez mais tenho a certeza, de que isso não acontece. Note-se que a Programação Neurolinguística faz parte de uma pós-gradução numa das muitas e boas faculdades de Lisboa. O mais importante aprende-se sempre em casa com a Família! Onde são peças fundamentais os nossos pais, mas nunca nos esqueçamos dos nossos Avós. Depois sim, a Escola. E então aí… fazendo a mistura do que recebemos das duas em porções q.b, generosamente regadas de bom senso e alguma cautela, formamos o nosso “Eu”. E depois … vem a Sociedade, leia-se a “vida em sociedade”, cheia de S’s e R’s e quase que deita tudo a perder. E por vezes… e só porque estamos sentados à mesa de refeição, num jantar de trabalho, num local XPTO, com os nossos superiores e pessoas de destaque no nosso meio profissional, receando que o outro que conhecemos há vidas e até pelo qual sentimos uma certa estima está ali ao alcance da nossa vista nos possa “envergonhar” com alguma atitude, ou até mesmo no linguajar fazemos de conta de que não o vimos! E “prontus” … É a vida! Mas depois fora disso, venha de lá esse “bom dia” envolvido em grande sorriso. E nas redes sociais e WhatsApp’s continuamos os mesmos. Será que continuamos mesmo??!!! Aiiiii vida de crescidos… vida de crescidos, mas o que havemos de fazer se tudo isto existe, tudo isto é triste (mas… será que há mesmo necessidade disto ??!!). Tudo isto são COISAS e CENAS & CENAS e COISAS.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *