Home > Vida Interior > Desmascarar Satanás

Desmascarar Satanás

O tempo litúrgico da quaresma reveste uma importância fundamental no crescimento da vida interior. É um percurso de quarenta dias para prepararmos a vivência do mistério pascal, fonte de alegria gloriosa, passagem a uma vida renovada, fermento de um mundo novo. Por isso, é fundamental vivermos a mística deste período para dar relevo ao que é essencial na vida cristã. A primeira condição é entender a quaresma numa perspetiva positiva. Por vezes, ainda associamos esta quadra apenas à renúncia e à penitência, esquecendo que estas se praticam com a finalidade positiva de nos purificar e tornar mais livres. De facto, só através da conversão e da purificação podemos chegar profundamente à alegria e à luz da Páscoa. Não alcançamos a renovação e o pleno desenvolvimento sem exercício e sem esforço. Acontece tanto na dimensão física como na social e na espiritual. Precisamos, portanto, de estabelecer um programa mínimo para viver a quaresma. De contrário, este tempo passa em vão e perdemos uma boa oportunidade. É significativo que este tempo favorável inicie com o evangelho das tentações, no primeiro domingo. Se não tomarmos consciência das manifestações e da força do mal, este acaba por contaminar e emperrar o caminho. É o que acontece algumas vezes por receio de não estarmos na moda face ao ambiente de relativismo e desculpabilização que nos rodeia. O Evangelho fala das tentações do Diabo ou Satanás e mostra como esta figura é sedutora e inteligente. Não ameaça com o inferno nem mostra a forquilha para nos picar. Pelo contrário, propõe-nos “ser como deuses”, brilhar, possuir, dominar. Foram as tentações que lançou a Jesus e as mesmas que dirige a nós. Quais as tentações a que hoje devemos estar vigilantes e combater? O Papa Francisco, na mensagem desta quaresma, “Porque se multiplicará a iniquidade, vai resfriar o amor de muitos” (Mt 24, 12), alerta-nos para os falsos profetas que enganam muita gente. E recomenda-nos tomar os remédios adequados para os enfrentar (atualidade do jejum, da partilha e da oração).
São bem visíveis as manifestações da iniquidade: violências, fraudes, mentira, confusão entre o mal e o bem. E os falsos profetas abundam também, como exemplifica o Papa:“ a quantos jovens se oferece o falso remédio da droga, de relações passageiras, de lucros fáceis mas desonestos! Quantos acabam enredados numa vida completamente virtual onde as relações parecem mais simples e ágeis mas depois se revelam dramaticamente sem sentido! Estes impostores, ao mesmo tempo que oferecem coisas sem valor, tiram aquilo que é mais precioso como a dignidade, a liberdade e a capacidade de amar”. Interroguemo-nos então: Que tentações me afetam mais? Que programa vou estabelecer para viver frutuosamente a quaresma?
livres

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *