Home > Saúde > De médicos (veterinários) e loucos, todos temos um pouco

De médicos (veterinários) e loucos, todos temos um pouco

Chegou o inverno e, com ele, uns dias de frio a valer. Todos nos preparamos: acendemos a lareira e os aquecedores e vestimos roupa mais quentinha para nos reforçarmos contra o que do frio pode vir: as constipações, as sinusites e as gripes. E os nossos animais, constipam-se? É verdade, os nossos animais constipam-se! Os gatos com o complexo coriza, uma síndrome multi-factorial, de origem bacteriana ou viral, que se traduz sobretudo por espirros, corrimento nasal e, por vezes, ocular, transparente ou amarelado, perda de apetite e diminuição da atividade de higiene diária. Os cães, com a tosse do canil, também de origem bacteriana ou viral. Os sintomas são sobretudo tosse, inicialmente seca mas que, por infeções secundárias, se pode tornar produtiva, mais raramente acompanhada de corrimento nasal e espirros. Como se transmitem? À semelhança do que acontece connosco, as constipações dos nossos amigos são muitíssimo contagiosas. Animais que contactem diretamente com outros infetados podem desenvolver a doença numa questão de dias. Por vezes, também nós, pelo contacto com animais doentes, podemos ser portadores dos agentes infeciosos para os nossos animais.
Os jovens e imunodeprimidos são mais sensíveis e, neles, a doença pode manifestar-se mais severamente. Além disso, no caso dos gatos, aqueles que tenham desenvolvido a doença podem ficar portadores dos vírus durante anos e, mesmo sem sintomas, contagiar outros em casa. Por isso, se tiver um animal doente, é conveniente isolá-lo dos outros lá de casa e manipulá-lo com luvas, com os maiores cuidados de higiene. E prevenção? Boas notícias! Para a maioria dos agentes infeciosos que podem provocar estas doenças existe vacina! Em exposições e para admissão em alguns hotéis, estas vacinas são já um requisito obrigatório, devendo ser feitas com cerca de 2 semanas de antecedência. Quanto à cura, cada caso é um caso. Não deixe passar o tempo e, com ele, o agravamento da doença. Sabia que alguns gatos podem mesmo cegar e que, cães ou gatos, também podem desenvolver pneumonias complicadas? Já sabe, proteja o seu animal do frio e de ambientes húmidos. Fale com o seu veterinário para atualizar o plano vacinal e também se começar a ver sinais de doença. Quanto a si, fique descansado: de um modo geral, estas doenças não são contagiosas para nós, humanos.

Telma Gomes
* Médica veterinária

telmaveterinaria@gmail.com

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *