Home > Crónicas > De vez em quando

De vez em quando

E aqui estou eu caros leitores, a escrever um pequeno apontamento e a voltar a sentir o prazer que escrever me proporciona aliado à alegria que sinto ao chegar a vossas casas e à vossa leitura, saudosa da nossa terra querida, ávida de matar saudades de tudo o que por aqui se passa. E a alegria que sinto é reforçada por escrever pela primeira vez no nosso novo querido jornal, neste jornal renovado, onde a juventude de ideias se sobrepõe em busca da verdade e na emenda de eventuais erros. O colorido deste jornal renovado, os novos colaboradores que são a seiva da sua juventude, são um salto em frente na conquista do futuro que é de todos nós. No “velhinho” O Almonda escrevi durante cerca de dez anos e o prazer da escrita acredito que tenha sido correspondido pelo agrado dos leitores. Agora só vos quero trazer, de vez em quando, uma história real que desejo convosco  partilhar. A história de hoje teve lugar há muitos anos atrás, quase no início da nossa rádio pirata, a funcionar na altura em estúdios localizados no peão do nosso estádio. Em estúdio estavam três personagens. O Fernando da Fotocor, um dos fundadores da estação, o Costa Marques locutor de renome e eu. O Fernando desejava um anúncio publicitário e logo ali e sem demoras, o Costa escolheu a música e eu escrevinhei umas notas que diziam assim: “És feio, sisudo e sem cor e ficas bem no retrato, já sei, fostes à Fotocor, melhor e mais barato!”. A coisa agradou, gravou-se de imediato e lançou-se para o ar. E logo ali os telefonemas de agrado começaram a cair. O anúncio foi um sucesso durante anos e penso que alguns dos nossos leitores e ouvintes ainda se lembrarão dele. E o meu orgulho é ter sido um dos pais dessa criança publicitária.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook