Home > Colaboradores > Joaquim Canais Rocha > Crónica do Quotidiano…

Crónica do Quotidiano…

Recordar é viver o dia-a-dia

E já se passaram 55 anos e parece que foi ontem que estivemos em férias em Peniche e fizemos uma viagem marítima até às Berlengas, um verdadeiro paraíso. Uma senhora amiga dos velhos tempos encontrou-se connosco numa esplanada da cidade, para tomar café. Ao despedir-se diz-nos: vou até Peniche, mas não sei se irei até às Berlengas. Você conhece bem, não é verdade? Sim, conhecemos bem Peniche onde fizemosmuitas amizades com os «Amigos de Peniche», como eram conhecidos na altura. Estes Amigos eram pescadores e nos traziam sardinhas para o convívio. Que saudades desse tempo. Para ilustrar a nossa crónica de hoje fomos buscar um Postal desse tempo ao nosso arquivo de mais de quatro mil exemplares, do País e do Estrangeiro. Este postal que publicamos é do cais onde se vê a Barraca para comprar bilhete para as Berlengas. A viagem era feita de traineira o que complicava a vida dos turistas porque o enjoo era maior por causa dos balanços do mar agitado. Do lado direito, ao fundo, ficavao Forte de Peniche e onde se encontravam presos os democratas deste País. A Pide não deixava ninguém chegar junto, nem se podia tirar fotos.
É interessante verificaros modelos de carro da época e a forma como as pessoas se vestiam. Os tempos eram outros sem dúvida. O porto de Peniche era dos que tinha maior actividade piscatória dado o número elevado de traineiras. Ainda foram vários os anos que passámos férias em Peniche com muitos amigos portugueses e estrangeiros, particularmente alemães. Todavia, muitos torrejanos optavam pela Praia da Nazaré, não só pela sua fama mas por ser mais perto. Famílias inteiras iam passar férias à Nazaré, nos anos 60. Quem se deslocasse a esta praia ficava bastante admirado de ver tantos conterrâneos. S. Pedro de Moel e S. Martinho do Porto eram as praias preferidas por uma classe mais endinheirada. Por sua vez, a Praia da Figueira da Foz, por ter um casino, ali se deslocavam outro tipo de torrejanos. É interessante verificar que muito poucos optavam pelo Algarve, preferindo as praias cá de cima apesar do mar ser mais frio. De repente tudo mudou e os torrejanos partiram à procura de novas praias: Mira, Santa Cruz, Portimão, Lagos e Praia da Rocha, entre muitas outras. Hoje torna-se difícil fazer um balanço sobre as praias dos torrejanos para passar férias. Mas também já temos aqueles que optam pelo estrangeiro, dado as facilidades e as promoções. E por vezes não fica tão caro passar férias lá fora. Quando temos um restaurante que pede 250 euros por uma refeição.

Por: Joaquim Canais Rocha

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *