Home > Crónicas > A espera continua

A espera continua

O verão este ano tem sido escaldante para os nossos lados. Para piorar a situação os inúmeros incêndios pintam o céu de negro. Somos obrigados a fechar as janelas pois o fumo impede-nos de respirarmos convenientemente.

Quem tem problemas respiratórios sofre em demasia com o ar saturado de fumo e cinzas. Infelizmente para os meus lados existem outros cheiros que me levaram a fazer o trabalho de campo. Tive de colocar uma máscara para poder andar dum lado para o outro a tirar fotografias. Mesmo ali perto do Bairro da Cabrita descobri um terreno cheio de porcaria de suínos. Segundo se ouve dizer um dono duma suinicultura em Leiria vem ali despejar os dejetos dos bichos. Nem imaginam a quantidade de moscas que ali pairam e o cheiro é horroroso. Como a vizinhança fala, mas tomar a decisão simples de ir apresentar uma queixa às entidades competentes parece que dá muito trabalho. Mas eu fui sozinha à GNR. Pedi para falar com alguém da área do ambiente e o senhor guarda disse-me que não se encontrava ninguém. Deixei a minha queixa juntamente com os meus dados. O senhor guarda perguntou-me onde ficava este terreno. Expliquei-lhe onde era e a resposta foi que desconhecia aquela zona. Disse-me que a PSP é que fazia esta zona. Com certeza, mas penso que deveria haver um mapa da cidade e concelho sempre à mão para casos como este e outros semelhantes.

Antes de sair perguntei se demoraria muito tempo. Não sabia. Adiante.

Também alertei o senhor Vice-Presidente da Câmara que também desconhecia o caso, mas disse-me que ia mandar lá os fiscais.

A ver vamos se a espera não se torna demasiado longa.

Aproveito também para informar a quem de direito que o Bairro da Cabrita anda em obras. Ou seja em frente ao meu quintal e ao da minha vizinha fizeram um buraco enorme e colocaram lá dentro umas três manilhas. Ou seja como a fossa deu o berro, agora a porcaria dos moradores chega ali e vai ser bombeada para a ETAR da Ribeira. Pergunto se é legal fazer esse tipo de construção junto das casas? Em conversa com um engenheiro, o senhor disse-me que o que construíram ali, podia muito bem ser construído no campo de futebol de Lapas pois havia espaço suficiente. Fui perguntar ao senhor Júlio Clérigo, Presidente da Junta de Freguesia e o senhor disse-me que quando recebeu o projeto não havia nada a fazer. Será mesmo que não havia uma solução melhor? E se fosse junto à sua casa? Será que aceitava a situação?

E mais uma vez a vizinhança reclamou, mas juntarem-se e tentarem resolver as coisas, está sempre fora de questão. Até há quem diga que não é à sua porta que se lixe.

Mas eu sou uma lutadora pelas causas justas. Estou sozinha, mas não deixo de reclamar o que tenho direito e pela minha saúde não baixo os braços.

Por acaso meus caros senhores do poder de Torres Novas já lhes passaram pela cabeça que nós cidadãos possam ficar doentes ao inalarmos estes cheiros nauseabundos? Pensem um pouco com o coração. A nossa cidade está suja, podre e mal cheirosa.

Continuo à espera que um dia leiam com atenção o que tenho escrito ao longo destes anos neste jornal. Respeitem os torrejanos. Pela vossa saúde.

Madalena Monge

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *