Home > Colaboradores > Joaquim Canais Rocha > O tempo que temos…

O tempo que temos…

O calendário diz-nos que estamos na Primavera, mas a realidade trocou as voltas e o frio de Inverno apareceu – não para ficar, claro – mas que complicou a vida de muita gente, particularmente os idosos que tiveram de recorrer a outros agasalhos próprios do tempo frio. As noites, algumas geladas, não aconselhavam a sair. Por outro lado a neve apareceu em grande quantidade na Serra da Estrela e por outros lados onde há anos não aparecia. Neve em Março é um fenómeno raro, pelo menos que nos lembre há anos que não acontecia. Depois temos a chuva, que é um bem precioso, mas quando é muita as inundações acontecem em áreas perto do mar, porque as marés aumentam sempre o caudal. Os agricultores dizem que choveu pouco e é necessário mais chuva para os ribeiros, as nascentes, para o Tejo por causa da poluição e para a agricultura, claro. Por este andar as estações do ano são alteradas todos os anos e já não sabemos dizer se estamos na Primavera, tudo vai sendo alterado neste mundo em que vivemos. Alguns dizem que o Planeta está doente e que é feito pouco para que as coisas possam ser alteradas. A poluição é um mal geral e as maiores riquezas do Planeta, por exemplo o Pantanal, no Brasil, continua a ser ameaçado por gente que só pensa no lucro, ao abater tantas árvores. E o governo brasileiro nada faz para evitar essa tragédia. Ainda recentemente vimos um documentário da BBC sobre a riqueza animal no Pantanal. É uma delícia para os nossos olhos admirar tantos animais e outras espécies ali a viver e a sobreviver. A importância das chuvas que permite os animais mais exóticos ali viver e crescer em completa liberdade. Ficamos incomodados quando chove, mas esquecemos a importância que a água tem nas nossas vidas. Sem este precioso líquido a vida humana estaria em perigo. Daí recomendar-se que a água seja utilizada com regras bem definidas uma vez que pertence a todos nós, humanos. E não compreendemos quando vemos ser desperdiçada sem qualquer sentido. Isto acontece por falta de formação das pessoas que a utilizam porque pensam que existe água em quantidade, quando na verdade não existe e merece ser poupada com vista às futuras gerações. O mês de Março costuma ser de manhã inverno e de tarde verão, segundo um provérbio popular. O tempo parece querer mudar com o avançar do mês. Abril já espreita para entrar em acção e promete ser um mês diferente, com menos frio, mas a chuva vai continuar como é natural e temos que contar com ela. Este breve reflexão sobre o tempo que temos serviu para nos consciencializarmos sobre os fenómenos da Natureza, que o homem tenta alterar a seu bel-prazer, mas que não vai conseguir porque há coisas que não se podem destruir por mais que queiramos. A Natureza é a Mãe do universo e como tal está acima de qualquer suspeita. Ao homem só resta aceitar estas transformações com humildade.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *